Pneumonia: Várias regiões portuguesas com as taxas mais elevadas de mortalidade na Europa

Portugal encontra-se em destaque no mapa elaborado pelo Eurostat, com várias regiões portuguesas a registarem as taxas mais elevadas de mortalidade associadas à pneumonia em 2016.

Esta terça-feira, 12 de novembro, assinala-se o Dia Mundial da Pneumonia e o Eurostat, gabinete estatístico europeu, compilou informações sobre o impacto da pneumonia nas regiões europeias.

Em 2016, 131.450 pessoas morreram desta doença apenas na União Europeia. Este valor representa quase 3% de todas as mortes nesse mesmo ano. Numa média de três anos, a taxa de mortalidade por pneumonia registou 26 mortes por cada 100 mil habitantes europeus em 2016.

Portugal encontra-se em destaque no mapa elaborado pelo Eurostat, com quase todo o país com níveis elevados de morte devido a esta doença. Em 2016, a Região Autónoma da Madeira registou 208 mortes enquanto a Região Autónoma dos Açores registou 85 mortes nas ilhas. Por sua vez, o Algarve registou 64 mortes por pneumonia em 2016, seguindo-se a zona Centro com 63 mortes e o Alentejo com 62 mortes.

Fonte: Eurostat

A Polónia também destaca um dos maiores níveis de mortes por pneumonia. Na região de Mazowieckie verificaram-se 71 mortes em 2015, enquanto em Lódzkie se verificou 63 mortes no mesmo ano e em Pomorskie registaram-se 63 mortes em 2016.

Também o Reino Unido observou uma das taxas de mortalidade mais elevadas. East Wales registou 70 mortes em 2016, enquanto West Wales e The Valleys registam 66 mortes e Lancashire verificou 62 mortes no mesmo ano.

Contrariamente, as taxas de mortalidades menos elevadas devido à pneumonia foram verificadas em Helsínquia, na Finlândia, com uma morte em 100 mil habitantes. Etelä-Suomi e Pohjois registaram três mortes, enquanto Länsi-Suomi registou quatro mortes em 2016.

Ler mais
Recomendadas

Reino Unido. Recessão de 14% poderá aumentar dívida pública em 400 mil milhões de libras

Numa perspetiva mais pessimista, a recessão poderá variar entre os 12,4% e os 14,3%, enquanto que num cenário mais otimista a queda poderá situar-se nos 10,6% e a dívida em 263 mil milhões de libras.

Estudo: 5,4 milhões de americanos perderam o seguro de saúde entre fevereiro e maio

O estudo da defesa do consumidor das famílias norte-americanas indica que o aumento estimado de desempregados sem seguro durante este período foi superior em quase 40% do que o aumento anterior, que ocorreu durante a recessão de 2008 e 2009.

Comércio entre países lusófonos e a China cai 12% nos primeiros cinco meses do ano

O Brasil continua a ser de longe o país lusófono com o maior volume de trocas comerciais com a China, garantindo mais de 80% dos bens transacionados, seguindo-se Angola, Portugal, Moçambique, Timor-Leste, Cabo Verde, Guiné Bissau e São Tomé e Príncipe.
Comentários