Pós-graduação em ‘low-code’ junta empresa ITUp e escola de formação Técnico+

O programa inicia-se remotamente a 26 de outubro de 2020 e destina-se preferencialmente a pessoas com formação nas áreas de Engenharia, Matemática e profissionais que pretendam reconverter-se para a área tecnológica.

Uma parceria entre a empresa portuguesa de formação especializada na Plataforma OutSystems, ITUp  e a escola de formação pós-graduada do IST, Técnico+ vai garantir formação em plataformas ‘low-code’, uma especialização com grande carência de profissionais no mercado.

A pós-graduação LeAD (Low-Code Application Development), a primeira de sempre do Técnico+ nesta área específica, arranca a 26 de outubro, à distância, e pretende transmitir conhecimentos básicos de programação e desenvolvimento web, bem como a capacidade de endereçar e projetar funcionalidades para o desenvolvimento de aplicações, utilizando plataformas ‘low-code’.

O programa destina-se preferencialmente a pessoas com formação nas áreas de Engenharia, Matemática ou formação e currículo profissional que permitam a aquisição rápida de conhecimentos na área de programação e ainda profissionais que pretendam fazer uma reconversão das suas áreas de formação para a área tecnológica.

“Este programa de formação em tecnologias ‘low-code’ de desenvolvimento de aplicações – da qual a plataforma da empresa portuguesa OutSystems é líder mundial de acordo com a Gartner –  é basicamente um sonho tornado realidade que tem levado a um aumento da procura por parte dos especialistas”, explica Miguel Mira da Silva, responsável por esta formação e professor associado no Departamento de Engenharia Informática do Técnico, destacando que esta formação “não requer conhecimentos profundos em informática.”

Além de Miguel Mira da Silva, a coordenação do programa está também a cargo de Ana Reis, mestre em sistemas de informação pelo Instituto Superior Técnico, reconhecida como OutSystems Most Valuable Professional, e COO da ITUp. A formação irá contar com 15 vagas e o plano de estudos está dividido em sete módulos, com uma carga horária síncrona, lecionada de segunda a sexta-feira, das 9h30 às 16h00, correspondendo no final a 15 créditos ECTs (Sistema europeu de transferência e acumulação de créditos).

Luís Campos, CEO da ITUp, destaca a importância desta aposta: “esta formação é uma mais valia para todos os profissionais na área da programação e tecnologia. Se o mercado se comportar de acordo com as previsões, a procura deste tipo de perfis, especialmente ‘low-code developers’, aumentará exponencialmente”. O gestor lembra um estudo da Gartner, segundo o qual o desenvolvimento de aplicações em tecnologia ‘low-code’ representará 65% de todas as funções de desenvolvimento de aplicações até 2024 e cerca de 66% das grandes organizações irão usar este tipo de plataforma. Já a Forrester  estima que em 2022 o mercado ‘low code’ valha uns 21.2 mil milhões de dólares (18 mil milhões de euros, números redondos).

Recomendadas

Notas de euro vão mudar em 2024 com a ajuda da cientista Elvira Fortunato

Segundo o Banco de Portugal “a Professora Elvira Fortunato é um dos 19 membros oriundos de todos os países da área do euro que participam no Theme Advisory Group, criado pelo BCE”.

Ministro da Educação considera importante “priorizar” vacinação de crianças abaixo dos 12 anos

Além da vacinação nas crianças entre os cinco e onze anos, o ministro da Educação defende que deveriam ser criados “protocolos diferentes”, num momento em que se aguarda parecer da DGS.

Plano de Formação Financeira aposta na formação financeira digital e na sensibilização para a sustentabilidade

Conselho Nacional de Supervisores Financeiros quer reforçar parcerias e apostar no digital. O Plano Nacional de Formação Financeira para o horizonte 2021-2025 define três dimensões estratégicas de atuação: reforçar a resiliência financeira; promover a formação financeira digital; e contribuir para a sustentabilidade.
Comentários