Preço da carne de porco a caminho da maior subida em 15 anos

A China, o maior consumidor mundial de carne de porco, já perdeu 40% dos seus animais devido à peste suína africana. Isto levou a China a importar mais carne de porco, provocando um disparo dos preços no mercado mundial.

As crises originadas pela doença das “vacas loucas” e da “gripe A” tornaram a carne de porco na mais consumida globalmente, com um aumento constante nos últimos 15 anos.

A mais recente crise no setor da alimentação é a peste suína africana que está a aniquilar milhões de porcos pelo mundo todo, em particular na China. Com a procura por carne de porco a aumentar, os preços da carne de porco dispararam a nível global, com o preço da carne suína a aumentar 120% na China, segundo a Bloomberg.

Na Europa, os preços das carcaças subiram 31%, com os preços dos leitões a dispararem 56% no último ano. Segundo dados das Nações Unidas, a carne de porco prepara-se para a maior subida desde 2004.

O preço da carne de porco vai voltar a aumentar até à comemoração do ano lunar chinês, no dia 25 de janeiro de 2020. Durante os festejos, o consumo de carne de porco atinge o seu máximo anual, e é expectável que com a crise instalada os preços sofram um aumento significativo.

O preço da venda de carne de porco por atacado teve um aumento significativo de 16% na semana de 11 de outubro, o maior dos últimos 13 anos. Desde o anúncio das entidades chinesas que o vírus da “febre suína” chegou ao país, vindo de África em 2018, que o preço da carne de porco duplicou.

A consequência desta doença em território chinês, tem influência direta no mercado de consumo animal no resto do mundo. A China que se estima ter mais de 250 milhões de porcos para consumo, já perdeu 40% dos seus animais, e este fator faz com que o preço dispare a nível global, sem exceções. De acordo com o departamento de agricultura dos Estados Unidos, a crise que afeta a China irá arrastar a produção de suínos a nível mundial em 10%.

O mercado alimentar chinês tem um valor estimado de 118 mil milhões de euros, e a crise da carne suína, vai fazer com que a grande potência asiática tenha que importar grande parte da carne que quer consumir, fazendo com que os preços disparem descontroladamente.

Ler mais

Recomendadas

Bancos têm até hoje para enviar ao regulador planos de prevenção do branqueamento de capitais

Os bancos têm até hoje para enviarem ao Banco de Portugal os planos de financiamento e os relatórios de prevenção do branqueamento de capitais e financiamento do terrorismo, depois dos prolongamentos dos prazos devido à covid-19. Numa situação normal, estes relatórios já deveriam ter sido enviados pelos bancos, mas o regulador e supervisor bancário anunciou a prorrogação dos prazos em abril, considerando que é de “particular importância” a qualidade da informação financeira e prudencial no atual contexto económico. O Banco de Portugal prolongou ainda, para 12 de junho, o reporte de informação financeira em base individual e o reporte de informação para fins de supervisão aplicável às sociedades financeiras, assim como a informação sobre empresas incluídas no perímetro de consolidação e sobre a evolução da carteira de crédito.

Proprietários tem até hoje para pagar primeira fase ou a totalidade do IMI

Os quase quatro milhões de contribuintes que receberam uma nota de liquidação do Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) têm até hoje para efetuar o pagamento da primeira prestação ou da totalidade do imposto.

Portugal “entalado” entre dívida e União Europeia

João Duque refere que ajudas às empresas têm de ser “estritamente para acudir à Covid”, enquanto a CIP defende que “não é com moratórias ou com o aumento do endividamento que se resolve o problema”.
Comentários