Preço médio da habitação em Portugal fixou-se nos 1.187 euros\m2 no segundo trimestre

Este valor representa uma redução face ao primeiro trimestre (-1,4%) mas um aumento relativamente ao segundo trimestre de 2019 (+9,4%).

Cristina Bernardo

No segundo trimestre de 2020 (últimos 3 meses), o preço médio da habitação familiar em Portugal situou-se nos 1.187 euros/m2. Este valor representa uma redução face ao primeiro trimestre (-1,4%) mas um aumento relativamente ao segundo trimestre de 2019 (+9,4%), de acordo com os dados das estatísticas de preços da habitação ao nível local, revelados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) esta quinta-feira, 29 de outubro.

Já a taxa de variação homóloga entre o primeiro e segundo trimestre de 2020, mostrou uma  desaceleração do ritmo de crescimento dos preços da habitação, passando dos 14,4% para os 9,4%. Olhando para os 24 municípios com mais de 100 mil habitantes, a taxa de variação homóloga desceu entre o primeiro e segundo trimestre em 19 municípios, incluindo os das áreas metropolitanas.

Quatro das 25 sub-regiões do país registaram um preço médio de alojamentos familiares acima do valor nacional:
Algarve (1.807 euros/m2), Área Metropolitana de Lisboa (1.601 euros/m2), Região Autónoma da Madeira (1.310 euros/m2) e e Área Metropolitana do Porto (1.196 euros/m2).

Por outro lado, apenas a Área Metropolitana de Lisboa (+10,6%) registou um crescimento homólogo superior ao nacional (+9,4%). Os maiores crescimentos homólogos verificaram-se na região das Beiras e Serra da Estrela (+25,6%), Região de Leiria (+19,7%), Alentejo Central (+19,5%) e Terras de Trás-os-Montes (+19,4%).

No segundo trimestre de 2020 (últimos 12 meses), o preço médio da habitação familiar em Portugal foi de 1.137 euros/m2, aumentando 1,8% relativamente ao trimestre anterior e 10,3% relativamente ao trimestre homólogo. O preço médio da habitação manteve-se acima do valor nacional nas regiões do Algarve (1.682 euros/m2), Área Metropolitana de Lisboa (1.550 euros/m2), Região Autónoma da Madeira (1.272 euros/m2) e a Área Metropolitana do Porto (1.153 euros/m2).

No período em análise, 48 municípios apresentaram um preço médio superior ao valor nacional, localizados
maioritariamente no Algarve (14 em 16 municípios) e Área Metropolitana de Lisboa (15 em 18). O município
de Lisboa (3.376 euros/m2) registou o preço mais elevado do país.

Verificaram-se também valores superiores a 1.500 euros/m2 em Cascais (2.737 euros/m2), Oeiras (2.268 euros/m2), Loulé (2.240 euros/m2), Albufeira (2.000 euros/m2), Lagos (1 .989 euros/m2), Odivelas(1.911 euros/m2), Porto (1.905 euros/m2), Tavira (1.861 euros/m2), Faro (1.717 euros/m2), Loures (1.698 euros/m2), Aljezur (1.633 euros/m2), VilaReal de Santo António (1.630 euros/m2), Funchal (1.626 euros/m2), Almada (1.602 euros/m2), Amadora (1.595 euros/m2), Lagoa (1.586 euros/m2) e Matosinhos (1.557 euros/m2).

No segundo trimestre de 2020 (últimos 12 meses), três das 24 freguesias de Lisboa registaram preços médios de venda de alojamentos superiores a 4.500 euros/m2: Santo António (5.550 euros/m2), que inclui a Avenida da Liberdade e áreas adjacentes, Santa Maria Maior (5.111 euros/m2), que inclui a área do Castelo e Baixa/Chiado, e Misericórdia (4.839 euros/m2), que inclui a área do Bairro Alto e do Cais do Sodré.

As freguesias Parque das Nações, Estrela, Santa Maria Maior, Alvalade, Santo António e São Domingos de Benfica
registaram, simultaneamente, um preço mediano acima do valor da cidade de Lisboa (3.376 €/m2) e taxas de variação, face ao período homólogo, mais expressivas que a verificada na cidade (+7,0%).

Na cidade do Porto, a União de freguesias de Aldoar, Foz do Douro e Nevogilde e a União de freguesias de Lordelo do Ouro e Massarelos destacaram-se, entre as sete freguesias com um preço médio (2.708 euros/m2 e 2.354 euros/m2, respetivamente) acima do valor da cidade do Porto (1.905 euros/m2) e uma taxa de variação homóloga (+15,4% e +14,4%, respetivamente) superior à observada na cidade (+8,1%).

Ler mais
Recomendadas

Avaliação bancária às casas fixou-se nos 1.131 euros por metro quadrado em outubro

O valor mediano do metro quadrado cresceu três euros de setembro para outubro, segundo os dados do Instituto Nacional de Estatística divulgados esta sexta-feira. Madeira verificou o maior aumento dos valores atribuídos pela banca aos imóveis.

Alojamento local com quebras de faturação superiores a 75% no segundo trimestre

Esta é uma das conclusões do inquérito realizado a 868 titulares e gestores de AL do país, promovido pelo DINÂMIA’CET – Centro de Estudos sobre a Mudança Socioeconómica e o Território, do ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa.

Estrangeiros responsáveis por 80% da procura por casas na Comporta

Investidores internacionais impulsionam imobiliário de luxo na Comporta. Procura deverá aumentar no próximo ano com a retoma do turismo a partir do segundo trimestre de 2021, estima a Engel & Völkers.
Comentários