Preços da eletricidade e gás baixam na UE no segundo semestre de 2020

Na UE, os preços da eletricidade para consumo doméstico recuaram, entre julho e dezembro de 2020 para os 21,3 euros por 100 kWh, face aos 21,7 euros por 100 kWh do segundo semestre de 2019, e na zona euro diminuíram para os 22,7 euros, face aos 22,9 do período homólogo.

Os preços da eletricidade e gás domésticos recuaram ligeiramente na zona euro e União Europeia (UE) no segundo semestre de 2020, face ao período homólogo, com Portugal a registar terceiro maior aumento do gás, divulga hoje o Eurostat.

Na UE, os preços da eletricidade para consumo doméstico recuaram, entre julho e dezembro de 2020 para os 21,3 euros por 100 kWh, face aos 21,7 euros por 100 kWh do segundo semestre de 2019, e na zona euro diminuíram para os 22,7 euros, face aos 22,9 do período homólogo.

Os preços do gás para uso doméstico, por seu lado, também diminuíram ligeiramente, situando-se em 6,89 euros por 100 kWh no segundo semestre de 2020 na UE (contra 7,2 euros no semestre homólogo) e na zona euro desceram de 7,6 para 7,49 euros por kWh.

Os impostos e taxas representaram 40% das contas de eletricidade cobradas aos agregados familiares na UE no segundo semestre de 2020, e nas faturas de gás a parte correspondente foi de 32%.

De acordo com o gabinete estatístico europeu, a Alemanha (30 euros por 100 kWh) é o país com a eletricidade mais cara, incluindo taxas e impostos, seguida da Dinamarca (28,1 euros), da Bélgica e (27 euros) e a Irlanda (26,1 euros).

No outro extremo da tabela estão a Bulgária (9,8 euros), a Hungria (10 euros) e a Estónia (12,9 euros por kWh).

As maiores descidas homólogas nos preços da eletricidade doméstica foram observadas na Holanda (-33,8%), seguida por Chipre (-24,1%) e Suécia (-17,2%).

Em contrapartida, o maior aumento foi registado no Luxemburgo (10,3%), à frente da Polónia (9,7%) e da Eslováquia (8,8%).

Em Portugal, a eletricidade, com taxas e impostos incluídos, custou 21,3 euros por kWh, face aos 21,8 do segundo semestre de 2019.

No que respeita aos preços do gás para uso doméstico, Portugal registou o terceiro maior aumento (0,9%), de 7,7 euros para 7,8 euros por kWh, depois da Alemanha (5,4%) e da Holanda (4,7%), puxado pela subida do custo da energia e também dos impostos.

As maiores descidas nos preços do gás doméstico foram observadas na Lituânia (-27,3%), seguida da Bulgária (-21,2%) e da Letónia (-20,2%).

Os preços médios do gás doméstico no segundo semestre de 2020 mais baixos registaram-se na Letónia (2,8 euros por 100 kWh), Lituânia (3,0 euros) e Hungria (3,1 euros) e os mais altos na Holanda (10,1 euros), Itália (9,0 euros) e Espanha (8,9 euros).

Ler mais
Recomendadas

Saiba como funciona a tarifa social de água

A Tarifa Familiar da Água traduz-se na isenção dos encargos com a tarifa fixa e num desconto significativo através da aplicação da tarifa do escalão mais baixo. A tarifa social da água não é, atualmente, obrigatória, dependendo da adesão dos Municípios.

Portugueses admitem passar férias em território nacional e gastar menos que em 2020

Relativamente a questões financeiras, os portugueses estimam gastar 750 euros, uma descida de 160 euros face ao valor descrito no ano passado.

Um quinto das empresas em teletrabalho admite redução nos custos de energia

Este é um dos resultados do 15.º inquérito realizado no âmbito do projeto “Sinais Vitais”, desenvolvido pela CIP, em parceria com o Marketing FutureCast Lab do ISCTE, que conta com uma amostra de 441 empresas, das quais 6% são grandes empresas.
Comentários