Preços na produção industrial diminuíram 1,1% em agosto

Nas diferentes secções, o principal contributo foi proveniente da ‘eletricidade, gás, vapor, água quente e fria e ar frio’, com -0,9 pontos percentuais.

A taxa de variação homóloga do índice de preços na produção industrial situou-se em -1,1%, no mês de agosto, representando um aumento em comparação com os -0,4% registados em julho, revela o Instituto Nacional de Estatística (INE), esta quarta-feira, 18 de setembro.

O agrupamento de ‘energia’ contribuiu com -1,0 pontos percentuais, sendo que excluindo esse agrupamento, os preços na produção industrial mantiveram a diminuição observada no mês passado. Por sua vez, a variação mensal de agosto fixou-se em -0,5%, tendo sido de 0,2% em período homólogo referente a 2018.

Nas diferentes secções, o principal contributo foi proveniente da ‘eletricidade, gás, vapor, água quente e fria e ar frio’, com -0,9 pontos percentuais. Este valor originou assim um variação de -10,5% no mês de agosto, tendo sido de -6,8% em julho.

As indústrias transformadores registaram uma variação homóloga de -0,2%, tendo-se verificado 0,2% no mês anterior, resultando um contributo negativo de -0,2 pontos percentuais para a variação total.

Os preços na produção industrial apresentaram uma variação mensal de -0,5% em agosto, em comparação com os 0,2% observados no período homólogo. O agrupamento com maior contributo para a variação mensal do índice total foi o de ‘energia’, com -0,4 p.p., originado pela taxa de variação de -1,9%, sendo que em agosto do ano passado se fixou em 1,0%.

Recomendadas

Centeno mantém núcleo de confiança nas Finanças

Ministério das Finanças mantém secretários de Estado, à excepção de Maria de Fátima Fonseca que transita para a Modernização do Estado e da Administração Pública. Mourinho Félix mantém-se ‘número dois’.

Financiamento das administrações públicas cai para 329 milhões de euros até agosto

Emissão de títulos foi de 2,4 mil milhões, permitindo compensar o financiamento através de empréstimos líquidos de depósitos de -2,1 mil milhões, segundo dados do Banco de Portugal.

Preço da carne de porco a caminho da maior subida em 15 anos

A China, o maior consumidor mundial de carne de porco, já perdeu 40% dos seus animais devido à peste suína africana. Isto levou a China a importar mais carne de porco, provocando um disparo dos preços no mercado mundial.
Comentários