Prepare a carteira. Vem aí (mais) um aumento nos combustíveis

A partir de segunda-feira, os combustíveis ficam novamente mais caros. Aumento é maior na gasolina, tanto nas cadeias de marca branca, como nas principais gasolineiras.

Prepare-se para desembolsar mais uns euros para atestar o depósito do seu automóvel. É que os preços dos combustíveis vão manter a tendência de subida na próxima semana, ficando mais caros já a partir de segunda-feira. “A evolução das cotações em euros aponta para um aumento dos preços entre dois e 2,5 cêntimos por litro na gasolina e de 1,5 cêntimos por litro no gasóleo”, adiantou fonte do setor ao Jornal Económico. Os aumentos vão sentir-se tanto nas bombas das principais gasolineiras como nos postos dos hipermercados.

A escalada dos preços da gasolina e do gasóleo, que que se tem registado desde inícios de 2019, deve-se essencialmente, ao aumento dos preços do petróleo nos mercados internacionais. Esta quinta-feira, o barril de petróleo Brent (a referência na Europa) passou a barreira dos 75 dólares pela primeira vez desde o fim de outubro. Já em Nova Iorque, o barril de ‘light sweet crude’ subia  para 66,08 dólares, um recorde em seis meses.

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP), especialmente a Arábia Saudita, e a Rússia, aliada externa do cartel, têm desde início do ano reduzido a produção de crude, elevando os preços. O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, tem pedido reiteradamente à OPEP que suavize os cortes, mas sem sucesso.

Encher o depósito de gasolina já custa mais oito euros do que em janeiro

Na primeira semana de janeiro de 2019, o gasóleo era comercializado nos postos de abastecimento nacionais a 1,341 euros por litro e a gasolina a 1,448 por litro, em termos médios. Atualmente, o preço médio do litro de gasolina 95 em Portugal está nos 1,579 euros. Já o gasóleo vale 1,436 euros, segundo dados da Direção Geral de Energia e Geologia (DGEG).

Com o aumento anunciado para a próxima semana, o preço da gasolina passará a custar mais 13,1 cêntimos por litro do que no início do ano. Já o gasoleo, passará a valer mais 9,5 cêntimos por litro do que em janeiro de 2019. Ou seja, quem encher um depósito de 50 litros de gasolina vai pagar quase 8 euros mais, em comparação com o início de 2019. No caso do gasóleo, são mais 5,5 euros por depósito.

Estes valores podem no entanto variar nos postos de abastecimento, já que o preço fixado na rede tem ainda em conta o nível de concorrência, da oferta e da procura em cada mercado e o nível de custos fixos de cada posto.

De acordo com o último relatório de Bruxelas, depois de impostos, o preço médio da gasolina 95 octanas praticado em Portugal é o oitavo mais caro em toda a UE. Já o gasóleo ocupa a nona posição no ‘ranking’. O relatório da Comissão Europeia também deixa claro que a grande fatia do preço cobrado por cada litro de combustível vai para os cofres do Estado.

Entre os 28 Estados-Membros, o preço médio de referência da gasolina ronda os 1,454 euros por litro, enquanto o ‘diesel’ vale 1,361 euros por litro. Já na zona euro, um litro de gasolina custa 1,497 euros e um litro de gasóleo vale 1,356 euros.

Os postos mais económicos:

Gasolina 95

Intermarché de Sátão – 1.379 euros

Intermarché de Vilar Formoso – 1.399 euros

Intermarché de Valença- 1.449 euros

Gasolar de Monção – 1.450 euros

Intermarché São Pedro Sul – 1.454 euros

Gasóleo

Intermarché de Vilar Formoso – 1.249 euros

Intermarché de Vila Real de Santo António – 1.259 euros

Rede Energia de Monte Gordo – 1.259 euros

Intermarché de Valença – 1.259 euros

Intermarché de Sátão – 1.269 euros

Fonte: DGEG

Ler mais

Recomendadas

Tribunal de Contas dá luz verde às contas da Presidência da República, deixa dois elogios e faz três recomendações

TdC elogia o empenho do Palácio de Belém na “prestação atempada das contas relativas ao ano económico de 2019, não obstante as exigências decorrentes da situação pandémica Covid-19”, mas deixa três recomendações para este ano.

Despesa corrente em saúde aumentou em 2018 e 2019, diz o INE

De acordo com os resultados da Conta Satélite da Saúde do INE, na base 2016, o crescimento nominal da despesa corrente em saúde nesses anos foi superior ao do PIB mais 1,3 pontos percentuais (p.p.).

CP “empurra” para despedimento 120 trabalhadores dos bares dos comboios, acusa federação dos sindicatos

A Federação dos Sindicatos da Agricultura. Alimentação, Bebidas, Hotelaria e Turismo (FESAHT) alerta que os 120 trabalhadores dos bares dos comboios da CP estão em risco de “serem vítimas de um despedimento colectivo”. Tudo porque, diz FESAHT, a empresa mantém a recusa da reabertura do serviço de refeições dos bares dos comboios Alfa Pendular e Intercidades.
Comentários