Presidente da Comissão da União Africana preocupado com interferência turca na Líbia

O responsável da União Africana também pediu à comunidade internacional que se juntasse a África na busca de um acordo pacífico para a crise na Líbia, alertando sobre as suas “consequências perigosas” para todo o continente.

O presidente da Comissão da União Africana (UA), Moussa Faki Mahamat, disse que está preocupado com uma possível “interferência” na Líbia, após a decisão da Turquia de enviar tropas para aquele país.

Os parlamentares turcos aprovaram uma moção na quinta-feira permitindo que o Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, envie soldados para a Líbia para apoiar o Governo de União Nacional (GNA) de Trípoli contra a ofensiva do marechal Khalifa Haftar, que é o homem forte no leste da Líbia.

O responsável da UA disse na noite de sexta-feira, através de um comunicado, que está “profundamente preocupado com a deterioração da situação na Líbia e o sofrimento contínuo do povo líbio”.

“As várias ameaças de interferência política ou militar nos assuntos internos do país aumentam o risco de confronto, com motivações que nada têm a ver com os interesses fundamentais do povo líbio e as suas aspirações por liberdade, paz, democracia e desenvolvimento”, referiu Moussa Faki Mahamat.

O responsável da União Africana também pediu à comunidade internacional que se juntasse a África na busca de um acordo pacífico para a crise na Líbia, alertando sobre as suas “consequências perigosas” para todo o continente.

A Líbia está mergulhada no caos desde a queda do regime do Presidente Muammar Kadhafi em 2011.

Duas autoridades disputam o controlo da Líbia: o Governo de União Nacional (GNA), reconhecido pela ONU; e um Governo e um parlamento no leste da Líbia sob o comando de Haftar.

Ler mais
Recomendadas

BIC Cabo Verde tem apenas 12 trabalhadores e lucrou 5,2 milhões de euros em 2018

O banco BIC Cabo Verde (BIC-CV), participado pela empresária angolana Isabel dos Santos e que está a ser inspecionado pelo banco central cabo-verdiano, apresentou lucros de mais de cinco milhões de euros em 2018, tendo apenas 12 trabalhadores.

Ministro das Finanças de Cabo Verde garante que fundo soberano estará operacional em 2020

O processo de montagem do fundo soberano de 90 milhões de euros está em curso e o mesmo deve estar operacional ainda este ano, garantiu o vice-primeiro-ministro e ministro das Finanças cabo-verdiano.

Cabo Verde e Estados Unidos vão alargar cooperação bilateral na Defesa

O ministro cabov-verdiano Luís Filipe Tavares explicou que o leque de cooperação entre os dois países é “muito vasto”, avançado que Cabo Verde vai passar a ter mais três navios apropriados para a vigilância costeira.
Comentários