Presidente da sociedade que tem 75% do Novo Banco estava no Deutsche Bank quando assessorou o Banco de Portugal na venda

O presidente da Nani Holding que é dona de 75% do Novo Banco, frisou que entrou só em 2019, dois anos e meio depois de ter sido assinado a venda do banco liderado por António Ramalho, em 2017.

Em 2017, Evgeny Kazarez assessorou, enquanto trabalhava para o Deutsche Bank, o Banco de Portugal na venda do Novo Banco à Lone Star. Saiu em março desse ano para a Hudson Advisors, que é uma empresa de gestão de ativos global, do grupo Lone Star, que realiza due diligence e análises, gestão de ativos e serviços auxiliares e outros de suporte para os Fundos e os ativos adquiridos pelos Fundos da Lone Star, e que até hoje presta serviços de outsourcing à Nani Holding, empresa do grupo Lone Star que detém os 75% do Novo Banco. Nomeadamente prepara as contas individuais.

Evgeny Kazarez, antes de entrar na Lone Star, estava assim na equipa do Deutsche Bank que fez a assessoria financeira do Banco de Portugal da venda de 75% do Novo Banco. O presidente da Nani Holdings, explicou que no Deutsche Bank esteve na equipa de assessoria financeira, até março de 2017, mas tinha duas pessoas acima na hierarquia.

A explicação surge na sequência das perguntas de Cecília Meireles, deputada do CDS, que questionou Evgeny Kazarez sobre quais eram as suas funções antes de estar à frente do conselho de administração da Nani Holdings.

Kazarez relatou que por sua iniciativa falou com a Hudson Advisors relativamente à possibilidade de emprego em Portugal e que tal aconteceu depois do fim formal do mandato do Deutsche Bank, o presidente da empresa que é dona de 75% do Novo Banco, frisou que entrou na Nani Holdings em 2019, dois anos e meio depois de ter sido assinado o contrato de venda da instituição financeira liderada por António Ramalho, em 2017.

O gestor saiu do Deutsche Bank em março de 2018 e, por causa de um impedimento contratual, só começou a trabalhar na Hudson Advisors em junho de 2018.

“A Nani Holdings é uma entidade regulada, foi sujeito a um processo de fit & proper por parte do Banco de Portugal, tendo obtido a aprovação do Banco Central Europeu. Como parte dessa avaliação, tive de divulgar as minhas funções anteriores e atuais”, explicou.

Evgeny Kazarez recusou qualquer conflito de interesse, lembrando que a Lone Star teve acesso à informação sobre o Novo Banco quando ficou com 75% do seu capital.

“As funções na Nani Holdings têm sido limitadas”, disse Evgeny Kazarez. Consiste na preparação de contas e na delegação de quem vota na Assembleia Geral do Novo Banco. A Nani Holdings tem um comité de auditoria.

Na resposta às perguntas do deputado do PSD, Hugo Carneiro, disse que não tem qualquer papel na orientação estratégica do Novo Banco O que aliás é normal sendo apenas o acionista. É o que acontece, de resto, com todas as empresas, onde os acionistas não decidem a orientação estratégica das empresas, essa função cabe aos órgãos sociais, tal como definem as regras de corporate governance.

Quando estava no Deutsche Bank os seus interlocutores no Banco de Portugal eram Sérgio Monteiro e João Freitas, do Fundo de Resolução, os coordenadores do processo de venda.

A Nani Holdings, foi constituída em Portugal para ficar com 75% do Novo Banco e é detida pela LSF Nani Investments, no Luxemburgo, que depois é detida por fundos institucionais geridos Lone Star.

Relacionadas

Lone Star não tem “para já” planos de venda do Novo Banco

“O Novo Banco está agora a entrar na fase lucrativa”, referiu Evgeny Kazarez, acrescentando que não está previsto haver mais utilizações do CCA (mecanismo de capitalização contingente) porque “na medida do possível” o plano de reestruturação está concluído.
Recomendadas

Novo Banco: PSD contraria Mourinho Félix quanto à retransmissão de obrigações de 2015

Acusando o antigo governante socialista de dizer “coisas que contradizem os factos”, Hugo Carneiro contrariou a versão de Mourinho Félix quanto à subida dos juros após a retransmissão de obrigações em 2015, dizendo que esta aconteceu sim após a apresentação do Orçamento do Estado de 2016.

Resolução do BES seria sempre preferível à liquidação, defende Vítor Constâncio

Vítor Constâncio reiterou que “naquela circunstância, naquele momento, com aqueles dados finais do final de julho, não havia outra alternativa melhor do que encaminhar-se para um processo de resolução”.

António Horta-Osório condecorado pela rainha Isabel II com título de ‘Sir’

O antigo presidente-executivo do banco Lloyds foi reconhecido pela monarca pelo “serviço importante para os contribuintes do Reino Unido nos últimos 10 anos, liderando o Lloyds Banking Group da beira do colapso de volta à lucratividade”. 
Comentários