Primeiro-ministro israelita apela ao voto e diz que eleições serão “muito apertadas”

Trump este fim de semana demonstrou o seu apoio à campanha de reeleição do primeiro-ministro israelita durante uma chamada telefónica entre os dois políticos.

Ronen Zvulun /Reuters

O primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, pediu à população que vote em massa nas eleições parlamentares de hoje, dizendo ainda acreditar que estas serão “muito apertadas”.

“O Presidente (dos Estados Unidos, Donald) Trump disse ontem (segunda-feira) que as eleições serão apertadas. Eu posso garantir nesta manhã que serão muito apertadas”, disse Netanyahu, pedindo aos israelitas que votem.

O primeiro-ministro israelita fez estas declarações após votar em Jerusalém, na companhia da sua mulher Sara.

O Presidente dos EUA disse na segunda-feira que as eleições parlamentares em Israel seriam apertadas.

“São 50/50”, disse Trump sobre as eleições que podem definir a sorte de Netanyahu, de quem Donald Trump é muito próximo.

Cerca de 6,4 milhões de eleitores vão participar nestas eleições em 10.700 mesas de voto. Nas últimas eleições, o presença dos eleitores foi próximo de 68%.

Pesquisas de diferentes meios de comunicação mostram vantagem do Likud (de Benjamin Netanyahu, direita), que está no poder há dez anos, e da formação de Kahol Lavan (“azul-branco”) do ex-chefe do exército Benny Gantz, com 32 cadeiras cada um no 120 do Parlamento.

Trump este fim de semana demonstrou o seu apoio à campanha de reeleição do primeiro-ministro israelita durante uma chamada telefónica entre os dois políticos.

O Presidente dos EUA então revelou a sua conversa, referindo um possível tratado de defesa conjunta, que espera dar continuidade após as eleições em Israel.

Netanyahu está a lutar pela sua sobrevivência política, entre uma corrida eleitoral acirrada e problemas legais que pairam sobre o primeiro-ministro.

Os israelitas vão às urnas hoje pela segunda vez este ano, depois de Netanyahu não conseguir formar governo após a votação de abril, provocando a dissolução do Parlamento.

A votação será em grande parte um referendo sobre Netanyahu, que este ano superou o primeiro-ministro fundador de Israel (David Ben-Gurion) como o líder mais antigo do país.

Netanyahu considera-se o único candidato capaz de enfrentar os inúmeros desafios que Israel enfrenta.

No entanto, os seus oponentes dizem que os seus problemas legais – incluindo uma recomendação do procurador-geral para indiciá-lo por suborno, fraude e quebra de confiança – parecem muito grandes para continuar à frente do governo.

Ler mais
Recomendadas
Steve King com Donald Trump

Republicanos livram-se do rosto da supremacia branca em Washington

Congressista Steve King foi derrotado nas primárias republicanas no círculo do estado do Iowa que representa desde 2002. Perda de influência na Câmara dos Representantes após afirmações polémicas dita afastamento do político que ainda se tentou agarrar a um elogio de Donald Trump.

Iémen: o lado esquecido do mundo

ONU pedia 2,4 mil milhões de dólares à conferência de doadores, mas os países envolvidos não conseguiram ir além dos 1,35 mil milhões. A guerra civil e a Covid-19 deixaram 28 milhões de pessoas desesperadas. Entretanto Riade e Teerão prometem não deixar a guerra.

Rede social Snapchat vai deixar de promover mensagens de Donald Trump

A empresa da rede social Snapchat, popular entre os jovens, acusou o Presidente dos EUA de incitar à “violência racial”, anunciando que deixará de promover as mensagens da conta de Donald Trump.
Comentários