Programa Alimentar Mundial vence Prémio Nobel da Paz

A organização internacional foi distinguida pelo combate à fome, “pela sua contribuição para melhorar as condições de paz em áreas afetadas por conflitos e por atuar como uma força motriz nos esforços para prevenir a utilização da fome como arma de guerra e conflito”. O prémio são dez milhões de coroas suecas (cerca de um milhão de euros), um diploma e uma medalha.

O Programa Alimentar Mundial (World Food Programme – WFP) ganhou o Prémio Nobel da Paz 2020, anunciou esta sexta-feira o Comité Norueguês do Nobel.

A maior organização humanitária do mundo no combate à fome foi distinguida pelos “seus esforços para combater a fome, pela sua contribuição para melhorar as condições de paz em áreas afetadas por conflitos e por atuar como uma força motriz nos esforços para prevenir a utilização da fome como arma de guerra e conflito”.

A organização laureada, que também promove a segurança alimentar e só em 2019 deu assistência a cerca de 100 milhões de pessoas em 88 países, irá receber o prémio de dez milhões de coroas suecas (cerca de um milhão de euros), além de um diploma e uma medalha.

“A pandemia do coronavírus contribuiu para um forte aumento do número de vítimas da fome no mundo. Em países como o Iémen, República Democrática do Congo, Nigéria, Sudão do Sul e Burkina Faso, a combinação entre o conflito violento e a pandemia levou a um aumento dramático no número de pessoas que vivem no limiar da fome. Perante isso, o Programa Alimentar Mundial demonstrou uma capacidade impressionante de intensificar os seus esforços”, refere a organização, em comunicado.

O Nobel da Paz é o único dos prémios Nobel que não é atribuído pela Academia Sueca, que este ano divulgou todos os galardões num evento exclusivamente online devido à pandemia. A derradeira cerimónia de entrega do prémio acontecerá em 10 de dezembro, na cidade norueguesa de Oslo e contará com a presença de cerca de 100 convidados.

Notícia atualizada às 10h19

Ler mais
Recomendadas

Portugal volta a superar os mil casos diários de Covid-19

A DGS regista este sábado mais 26 mortes e 1.007 casos confirmados da doença causada pelo novo coronavírus. O número de pessoas internadas, tanto em enfermaria como em unidades de cuidados intensivos, voltou a cair. No entanto, a Madeira registou mais 288 infeções.

Madeira recebeu mais 8.500 vacinas

Mais 8.500 vacinas contra a Covid-19 chegaram na sexta-feira à Madeira, anunciou este sábado a Força Aérea Portuguesa, que assegurou o transporte.

INEM: Mais de mil pessoas pediram ajudam em 2020 após morte de familiar

Mais de mil pessoas que viveram situações de morte inesperada ou traumática de um familiar procuraram ajuda em 2020 junto do Centro de Apoio Psicológico e Intervenção em Crise (CAPIC) do INEM, quase o dobro do ano anterior.
Comentários