Proibição de circulação e estabelecimentos encerrados a partir das 13 horas mantém-se ao fim de semana e é alargada aos feriados de dezembro

Esta restrição vai manter-se durante o próximo Estado de Emergência de 24 de novembro a 8 de dezembro para os concelhos de risco muito elevado no país que neste momento são 127.

António Costa | Cristina Bernardo

Nos concelhos de elevado risco em Portugal vão manter-se as restrições em vigor para o fim de semana durante o próximo Estado de Emergência, limitações que também serão alargadas aos feriados de dezembro.

Nos concelhos de risco muito elevado e extremamente elevado, com mais de 480 novos casos nos últimos 14 dias: nos próximos sábados e domingos e nos feriados de 1 e 8 de dezembro vai ser proibido circular na via pública e os estabelecimentos comerciais vão estar fechados entre as 13 horas e as 5 horas.

Já nas vésperas de feriado – dias 30 de novembro e 7 de dezembro – os estabelecimentos comerciais vão estar encerrados a partir das 15 horas.

Já nos concelhos de risco elevado, com mais de 240 novos casos nos últimos 14 dias: vai continuar a ser proibido circular na via pública entre as 23 horas e as 5 horas; as autoridades vão promover ação de fiscalização do cumprimento de teletrabalho obrigatório; os horários de encerramento vão manter-se com os estabelecimentos comerciais a encerrar às 22 horas e os restaurantes e equipamentos culturais a fechar às 22h30.

O Governo anunciou hoje que dividiu Portugal Continental por quatro zonas de risco:

Zonas de risco extremamente elevado: mais de 960 casos nos últimos 14 dias, com 47 concelhos incluídos neste escalão.

Zonas de risco muito elevado: entre 480 a 960 casos nos últimos 14 dias, com 80 concelhos neste escalão.

Zonas de risco elevado: 240 a 480 novos casos nos últimos 14 dias, com 86 concelhos neste escalão.

Zonas de risco moderado: menos de 240 novos casos nos últimos 14 dias, com 65 concelhos neste escalão.

Ler mais

Relacionadas

30 de novembro e 7 de dezembro: escolas fechadas, função pública não trabalha e Governo pede a empresas para dispensarem trabalhadores

O primeiro-ministro também anunciou hoje que o país vai passar a estar divido em quatro escalas consoante o nível de novos casos que apresentar.

Empresas vão poder pagar IVA e Segurança Social até seis prestações sem juros. Rendas da restauração e comércio vão ser apoiadas

Na próxima semana, vão também ser anunciadas medidas de apoio às rendas comerciais para garantir um apoio suplementar a todos os setores, particularmente da restauração e do comércio que estão a ser “fortemente atingidos por esta crise”, disse o primeiro-ministro. A possibilidade de pagamento em prestações refere-se ao IVA de novembro, e às contribuições para a Segurança Social referentes a novembro e dezembro.

Governo vai proibir circulação entre concelhos nos feriados de 1 e 8 de dezembro

O primeiro-ministro anunciou hoje quais as medidas que vão vigorar entre 24 de novembro e 8 de dezembro durante o Estado de Emergência.
Recomendadas

OE2021: Aprovada proposta para pagamento em prestações de IVA e IRC até 15 mil euros

A medida aplica-se apenas a tributos cujo valor no momento do requerimento e a pagar em prestações seja inferior a 15.000 euros.

Aprovada proposta que remete concurso do ‘IVAucher’ para fiscalização à posteriori do TdC

Em causa está um mecanismo, apelidado de ‘IVAucher’, que permite ao consumidor final acumular o valor correspondente à totalidade do IVA suportado em consumos nos setores do alojamento, cultura e restauração, durante um período (12 semanas) e utilizar esse valor, durante as 12 semanas seguintes, em consumos nesses mesmos setores.

Receita fiscal do Estado com quebra homóloga de 2,8 mil milhões até outubro

Esta evolução da receita fiscal líquida acumulada do subsetor Estado, assinala a DGO, reflete de forma evidente os efeitos da pandemia de covid-19.
Comentários