Proposta do CDS-PP aprovada: Lisboa vai ter passadeiras arco-íris contra a homofobia e transfobia

Mais concretamente na avenida Almirante Reis, com o objetivo de assinalar o Dia Internacional de Luta contra a Homofobia, Transfobia e Bifobia, a 17 de maio. Proposta do CDS-PP na Assembleia de Freguesia de Arroios foi aprovada por unanimidade.

No próximo dia 17 de maio, várias passadeiras da avenida Almirante Reis, em Lisboa, vão ser pintadas com as cores do arco-íris, como a bandeira do movimento LGBTI (lésbicas, gays, bissexuais, transgénero e intersexo). O objetivo da iniciativa consiste em assinalar o Dia Internacional de Luta contra a Homofobia, Transfobia e Bifobia que se celebra nesse dia.

“Esta efeméride celebra-se a 17 de maio por ter sido nesse dia em 1990 que se retirou a homossexualidade da Classificação Internacional de Doenças da Organização Mundial de Saúde (OMS)”, destaca-se na fundamentação da proposta do CDS-PP, na qual se salienta também que “a Freguesia de Arroios é um lugar de todos e para todos, e sobretudo um lugar de inclusão”.

Os representantes do CDS-PP na Assembleia de Freguesia de Arroios, Frederico Sapage Pereira e Vítor Teles, propuseram então que se assinale a efeméride “com a colocação de passadeiras arco-íris, na avenida Almirante Reis, em frente aos sinais luminosos para passagem de peões junto aos números 1 e 13”.

Recomendadas

Guia para não se perder no que o Governo aprovou em matéria laboral

O Governo aprovou esta quinta-feira, em Conselho de Ministros, o pacote de medidas legislativas que altera a legislação laboral para integrar as normas incluídas na Agenda do Trabalho Digno. Leia aqui o que está em causa.

Táxis e autocarros também vão ter desconto nos combustíveis

Empresas vão receber verbas “à cabeça” e através de transferência bancária. Autocarros têm limite mensal de 2100 litros e táxis de 380 litros.

OE2022: Governo aponta avanços em sete das nove propostas do Bloco de Esquerda

Na área da saúde, em matéria de dedicação plena e autonomia para contratações no Serviço Nacional de Saúde, o executivo minoritário socialista sinaliza que na quinta-feira, em Conselho de Ministros, foi aprovado o Estatuto do SNS.
Comentários