Propostas de investimento em Angola atingem os 669 milhões em nove meses

A Agência de Investimento Privado e Promoção das Exportações de Angola recebeu 118 propostas de investimento entre agosto de 2018 e abril de 2019.

A Agência de Investimento Privado e Promoção das Exportações (Aipexdinhio) de Angola recebeu, entre agosto de 2018 e abril de 2019, 118 propostas de investimento no valor global de 750 milhões de dólares (cerca de 669 milhões de euros), informou em Luanda a administradora Sandra Dias dos Santos.

A administradora, ao falar à margem do ciclo de conferências “Angola Moldar o futuro – o caminho para a diversificação”, sublinhou que estes resultados são fruto da diplomacia económica levada a cabo pelo governo, bem como do trabalho desenvolvido pela agência para atrair investimento directo estrangeiro.

Sandra Dias dos Santos, citada pelo “Jornal de Angola”, disse que os projectos, que permitem a criação de mais de sete mil postos de trabalho para nacionais, estão concentrados maioritariamente nos sectores da indústria transformadora, comércio e agricultura.

Os investimentos são em grande número provenientes da China, Portugal e Eritreia, com implantação em curso ou prevista principalmente em Luanda e Bengo.

Dados apresentados em finais de março pelo presidente da Aipex, Licínio Contreiras, indicavam que, até aquele mês, a instituição tinha aprovado 93 projetos, avaliados em 650 milhões de dólares (aproximadamente 580 milhões de euros).

Recomendadas

Portugal poderia ter arrecadado mais 415 milhões de euros em IVA

Em 2018, o chamado ‘gap’ do IVA, a diferença entre o valor que deveria render e o efetivamente cobrado, atingiu 2,3% da receita deste imposto, segundo os dados mais recentes divulgados hoje pelo INE. A não cobrança deste valor prende-se com vários fatores como fenómenos de evasão fiscal, variações nos prazos de pagamento, de reembolso e de recuperação de dívidas ao IVA, entre outros.

Governo simplifica emissão de comprovativos do exercício de atividade profissional

A medida Simplex permite a emissão dos certificados necessários para quem pretenda ir trabalhar para um dos 27 Estados-membros da União Europeia, através de uma Mera Comunicação Prévia (MCP), no portal ePortugal (Balcão do Empreendedor).

“Temos de simplificar o peso regulatório no mercado de capitais”, diz Siza Vieira

“É muito importante adaptarmos as regras do nosso mercado e capacitarmos as nossas empresas”, disse Pedro Siza Vieira num dos eventos relativos aos 30 anos da CMVM. “A importância desta reforma traduz-se no investimento muito significativo que teremos que fazer no desenvolvimento do mercado nos próximos anos”, vincou.
Comentários