Propostas vinculativas para comprar o Banco Caixa Geral Brasil esperadas até ao fim do ano

A CGD espera fechar a vendas do banco no Brasil e receber ofertas indicativas para o banco de Cabo Verde em 2020.

As propostas vinculativas para a compra do Banco Caixa Geral – Brasil são esperadas até ao fim do ano, disse Paulo Macedo na conferência de imprensa de apresentação de resultados.

“Relativamente ao banco do Brasil, estão definidos os candidatos que passaram à fase final, e nós esperamos receber propostas até ao final de dezembro. E portanto temos agora a parte da negociação”, disse Paulo Macedo. Isto projeta o closing da operação para o próximo ano.

O CEO da Caixa disse ainda que espera receber ofertas indicativas para a de Cabo Verde em 2020.

Relativamente à operação em Cabo Verde, “foi publicado o decreto-lei de venda em setembro de 2019, estando agora a CGD em contacto com o Ministério das Finanças para iniciar os contactos com investidores”, disse.

“Nós estimamos ter ofertas indicativas para o primeiro trimestre de 2020”, revelou.

Este ano, a Caixa Geral de Depósitos já vendeu as suas operações em Espanha (por 364 milhões de euros ao Abanca) e na África do Sul (por cerca de 215 milhões de euros ao Capitec).

O resultado da CGD consolidado foi de 641 milhões de euros, mas isto incorpora um resultado não recorrente de 159 milhões de euros. Ora este resultado extraordinário de 159 milhões resulta da reversão parcial de imparidades que haviam sido constituídas em 2017 para “fazer face ao preço previsível das vendas”, disse Paulo Macedo, referindo-se a potenciais perdas nas vendas. Essas imparidades eram num total de 382 milhões de euros “baseadas numa política prudente de valorização destes ativos em processo de venda”. Mas como as vendas foram a um preço melhor, foram revertidas 159 milhões de imparidades.

Ler mais
Relacionadas

“Para o ano vamos ter o foco no total cumprimento do plano estratégico”, diz Paulo Macedo

A atuação da comissão executiva da CGD na redução do crédito malparado também teve nota positiva. “Estamos muito além relativamente aos NPL”, frisou Paulo Macedo. “Não só porque o target inicial era de 12% para 2020, como agora é 7% para 2020 e agora estamos em 6,6% a esta data e esperamos encerrar o ano com o montante significativamente inferior, perto dos 5%”, explicou o CEO do banco do Estado

CGD dispensada de fazer um depósito no IGCP a favor do Estado por causa dos créditos fiscais

A Caixa está entre os bancos que pediram créditos tributários ao Estado, na sequência de terem aderido ao regime especial dos ativos por impostos diferidos, criado em 2014. A maioria dos bancos tem de fazer um depósito no IGCP para assegurar a conversão desses créditos em ações. Mas a CGD está dispensada.

CGD: Particulares e empresas pagam menos 140 milhões em comissões e juros este ano face a 2016

Entre janeiro e setembro deste ano, as receitas com as comissões na a particulares na atividade doméstica ascenderam a 307 milhões de euros, um aumento de 1,4% face a igual período do ano passado. “É isto que está nas contas”, vincou Paulo Macedo. “De tudo isto que vem sucessivamente dito contra a Caixa, o que aconteceu foi um aumento de 1,4%”.
Recomendadas

Qual o futuro do dinheiro? Gerir, pagar e receber online, dizem especialistas

Se os cartões sem contacto já são uma realidade para muitos portugueses o mesmo não se pode dizer dos métodos de pagamento com dados biométricos ou através de acessórios, como anéis. No entanto, a pandemia veio mudar a visão dos mais céticos.

PremiumCore Capital compra SousaCamp por 12,3 milhões de euros

A escritura de venda dos créditos do Novo Banco e do Crédito Agrícola no grupo Sousacamp à capital de risco Core Capital, foi finalmente assinada esta quinta-feira, dia 28 de maio.

Portugal é dos países europeus que mais investe em ‘open banking’, conclui estudo

A oportunidade de melhorar a experiência do cliente foi o maior catalisador dos investimentos, segundo a análise da plataforma sueca Tink.
Comentários