Protestos intensificam-se nos Estados Unidos e vendas de gás pimenta disparam

As latas de 14 litros, com um alcance de três metros, tornaram-se no item mais vendido pela Amazon na categoria de ‘desporto e atividades ao ar livre’ seguido das máscaras faciais.

Nova Iorque, Estados Unidos | Spencer Platt/Getty Images

Os protestos nos Estados Unidos, na sequência da morte de George Floyd, estão a intensificar-se e o impacto sente-se até nas vendas de gás pimenta no país, que subiram nos últimos dias.

De acordo com os números disponibilizados pela Amazon, as latas de gás pimenta foram o item mais vendido na categoria ‘desporto e atividades ao ar livre’ esta semana. As manifestações estão a ganhar proporções preocupantes nas ruas de algumas cidades norte-americanas  algumas pessoas a recorrem ao gás pimenta para combater as forças policias, segundo o “Business Insider”.

As latas de 14 litros, com um alcance de três metros, tornaram-se no item mais vendido pela Amazon na categoria de ‘desporto e atividades ao ar livre’, seguido das máscaras faciais. O aumento no equipamento de proteção individual foi relatado pela “CNBC’ e pela “Bloomberg”.

O interesse geral em sprays de autodefesa, que são ilegais em algumas cidades, como Nova Iorque, aumentou drasticamente no final de maio, de acordo com dados do Google Trends. Também os taser’s (arma de choques elétricos) subiram na lista de itens mais vendidos da Amazon, pela primeira vez, para o 47º lugar.

Depois da cadeia de abastecimento dos Estados Unidos ter sido afetada pela pandemia do novo coronavírus e pelas ordens de confinamento, a agitação civil provocada pela morte de George Floyd, às mãos da polícia, está a causar novas dores de cabeça ao normal funcionamento da sociedade americana.

Itens associados ao movimento ‘Black Lives Matter’ também estão entre os mais vendidos pela Amazon, enquanto a Administração de Alimentos e Medicamentos dos EUA alertou na sexta-feira que o antidepressivo mais prescrito, o Zoloft, estava em falta devido ao aumento da procura no início de março.

Ler mais
Recomendadas

Explosões em Beirute. Perto de 160 mortos e mais de 6 mil feridos

O ministério reviu em baixa o número de pessoas desaparecidas, indicando existirem 21, quando até agora tinha referido várias dezenas.

Mais de 60 pessoas continuam desaparecidas após a explosão em Beirute

Passaram quatro dias desde a explosão no porto de Beirute, no Líbano, que devastou a cidade e matou mais de 150 pessoas.

EUA. Serviços de inteligência revelam ameaças de interferência estrangeira nas eleições

O diretor dos serviços de inteligência dos EUA, Bill Evanina, manifestou hoje preocupação com as estratégias para a interferência nas eleições presidenciais por parte da China, Rússia e Irão.
Comentários