PS diz que OE 2020 garante reforço do SNS e acusa PSD de “negação” e falta de alternativa

A líder parlamentar do PS, Ana Catarina Mendes, acusa o PSD de “continuar em negação” face ao resultado eleitoral das legislativas e de não ser uma alternativa credível ao Governo.

ana_catarina_mendes_ps_legislativas
Mário Cruz/Lusa

O PS considera “excelente” a proposta de Orçamento do Estado para 2020 (OE 2020) apresentada pelo Governo e que é “mais um passo significativo na convergência com a União Europeia (UE)”. A líder parlamentar do PS, Ana Catarina Mendes, acusa o PSD de “continuar em negação” face ao resultado eleitoral das legislativas e de não ser uma alternativa credível ao Governo.

“Este é um excelente orçamento. É uma proposta de Orçamento do Estado que em sede de especialidade seguramente será ainda melhorada, mas é um Orçamento do Estado que, desde logo, dá resposta a um dos problemas mais gritantes que temos em Portugal que é o estado o Serviço Nacional de Saúde (SNS), fruto das políticas do PSD e CDS”, afirmou Ana Catarina Mendes, no debate parlamentar do OE 2020, na Assembleia da República.

Dirigindo-se ao PSD, Ana Catarina Mendes considera que a última pergunta que fica por responder é “para onde quer ir a direita, e o PSD em particular” e acusa os social-democratas de continuarem em “negação em relação àquilo que os portugueses escolheram a 6 de outubro. Os portugueses escolheram dar uma derrota estrondosa ao rumo do PSD para o país e reforçar o PS”.

“O orçamento do Estado é um instrumento absolutamente essencial para dar resposta aos problemas reais do país e os desafios estratégicos que temos no país, como as alterações climáticas e nisso o PSD diz zero”, acusa Ana Catarina Mendes.

Apesar de ainda não se conhecer o voto do Livre, a proposta de OE 2020 deverá ser viabilizada na votação desta sexta-feira, com os votos favoráveis dos 108 deputados PS e a abstenção do BE (19 deputados), PCP (dez deputados), PAN (quatro) e PEV (dois). Já o PSD (79), CDS-PP (5), Iniciativa Liberal (um) e Chega (um) vão votar contra a proposta orçamental.

Depois da votação em plenário, o OE 2020 vai ser discutido e votado na especialidade. A discussão e votado final da proposta orçamental terá lugar a 6 de fevereiro, devendo o documento chegar às mãos do presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, até ao dia 24 de fevereiro.

Ler mais
Recomendadas

OE2021: PSD questiona Governo sobre valor da despesa adicional das medidas do PCP

Os social-democratas consideram que o Governo não pode continuar a “promover a opacidade” sobre as negociações com o PCP e quer saber qual o “custo político e orçamental” da aprovação do Orçamento do Estado para 2021.

OE2020: Saldo da Segurança Social cai 97,5% para 62,8 milhões em setembro

O saldo da Segurança Social caiu 97,5% em setembro em termos homólogos, mas ainda assim foi positivo em 62,8 milhões de euros, revela a execução orçamental publicada pela Direção-Geral do Orçamento (DGO).

Direção-Geral do Orçamento divulga hoje execução orçamental até abril

“No primeiro trimestre de 2020, a receita fiscal líquida acumulada do subsetor Estado registou uma quebra de 54,3 milhões de euros (-0,5%) face ao período homólogo em 2019, maioritariamente explicada pela evolução da receita dos impostos indiretos (-2,2%), fundamentalmente devido ao Imposto do Selo”, indicou então a Direção-Geral do Orçamento (DGO).
Comentários