PremiumPS tem seis candidatas a presidências de câmara e PSD, CDS, JPP e IL nenhuma

Duas cabeças de lista da CDU e uma do Chega são únicas exceções ao domínio socialista nas candidaturas protagonizadas por mulheres. Paulo Cafôfo diz que igualdade de género é uma realidade no partido.

O PS-Madeira apostou claramente nas mulheres nas eleições autárquicas de 26 de setembro. É o partido que apresenta mais mulheres candidatas a presidências de câmara na Região Autónoma da Madeira: seis, de um total de nove escolhidas pelos principais partidos. Há ainda duas candidatas da CDU e uma do Chega, enquanto o PSD, CDS-PP, JPP e Iniciativa Liberal só terão homens a candidatar-se a tal cargo.

Dos 11 municípios que compõem a Região Autónoma da Madeira, o PS vai concorrer a todos com listas próprias, à exceção do Funchal, onde integra a Coligação Confiança.
Depois de há quatro anos o PS ter visto ser eleita a primeira mulher presidente de câmara na Madeira, Célia Pessegueiro, no concelho da Ponta do Sol, que se apresenta a votos novamente nestas autárquicas, este ano os socialistas têm ainda Sofia Canha, na Calheta; Mafalda Gonçalves, em Santa Cruz; Olga Fernandes, na Ribeira Brava; Helena Freitas, em São Vicente; e Tânia Freitas, em Santana.

O presidente do PS-Madeira, Paulo Cafôfo, disse ao Económico Madeira que a igualdade de género é uma realidade no seu partido, realçando que “nunca como agora o PS teve tantas mulheres na vida política ativa, seja no poder local ou na Assembleia Legislativa Regional, a intervir na vida pública, a liderar e a demonstrar que a política não tem género”.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Premium“Não é aceitável que Algarve e Alentejo recebam 5,9% do investimento previsto para a ferrovia”

Para a coordenadora do Movimento Mais Ferrovia, Cristina Grilo, “os transportes são um dos principais problemas do Algarve”.

PremiumBiden vale-se de Aukus para emendar a mão após desastre de Cabul

Aliança entre Estados Unidos, Reino Unido e Austrália é o tema internacional que o presidente norte-americano encontrou para fazer esquecer as críticas por causa da saída do Afeganistão. Mas não é certo que a frente militar criada para tentar travar a China seja um caminho seguro.

PremiumPaulo Cunha: “A Medway investe 63 milhões porque acredita em Famalicão”

O presidente da Câmara de Famalicão que decidiu não se candidatar a um novo mandato, regozija-se por ter batido a concorrência no projeto do maior terminal ferroviário de mercadorias da Península Ibérica.
Comentários