PS vai voltar a apresentar proposta para a eutanásia

A decisão já foi comunicada ao grupo parlamentar do PS, havendo dois deputados que indicaram a intenção de votar contra a proposta do partido, escreve o jornal “Expresso”.

O PS vai apresentar uma proposta no Parlamento para a despenalização da morte assistida, seguindo o caminho aberto nesta legislatura pelo Bloco de Esquerda, noticia o jornal “Expresso”, na edição deste sábado.

“Vamos apresentar uma iniciativa legislativa, estamos a ultimá-la. Será um projeto semelhante ao anterior, com alguns melhoramentos”, disse a deputada socialista Maria Antónia Almeida Santos, ao semanário.

Segundo a socialista, que foi uma das autoras da anterior proposta, as principais alterações surgem “na exposição de motivos, o que deverá refletir a discussão entretanto feita”.

De acordo com o Expresso, a decisão já foi comunicada ao grupo parlamentar do PS, havendo dois deputados que indicaram a intenção de votar contra a proposta do partido.

Recomendadas

BE quer que Fisco deixe de cobrar portagens e dívidas das concessionárias de autoestradas

A medida visa acabar com a utilização de recursos públicos para a cobrança de dívidas de entidades privadas, com o BE a defender que o Fisco se tornou nos últimos anos uma espécie de “‘cobrador do fraque’ das concessionárias de autoestradas”.

PS elogia escolha de Costa e Silva para preparar programa de recuperação económica

O vice-presidente da bancada socialista Carlos Pereira considerou hoje “uma boa solução” o convite do primeiro-ministro ao gestor António Costa e Silva para preparar o programa de recuperação económica, frisando que o Governo estará sempre neste processo.

António Costa Silva diz que não vai negociar com partidos depois de críticas de BE, PCP, PAN e CDS-PP

À exceção do Partido Social-Democrata (PSD), os partidos já avisaram que recusam negociar com “paraministros” e criticam escolha do presidente da petrolífera Partex, António Costa Silva, para desenhar um programa de recuperação económica e representar o Governo nas negociações com os partidos e parceiros sociais. Depois das críticas, gestor já veio a público garantir que não se vai sentar à mesa de negociações.
Comentários