PSD: Maria Luís Albuquerque vai apoiar Luís Montenegro nas diretas

A antiga ministra das Finanças de Pedro Passos Coelho considera que Luís Montenegro é o candidato que está melhor preparado para assumir a liderança do partido e transformá-lo uma “efetiva alternativa ao Partido Socialista (PS)”.

“O PSD de reconstruir a unidade do partido e de mobilizar os seus militantes”. Para isso, diz Cavaco Silva, aposta em Maria Luís Albuquerque

Maria Luís Albuquerque, antiga ministra das Finanças de Pedro Passos Coelho, vai apoiar o ex-líder parlamentar Luís Montenegro na corrida à presidência do Partido Social Democrata (PSD). A ex-ministra considera que Luís Montenegro é o candidato que está melhor preparado para assumir a liderança do partido e transformá-lo uma “efetiva alternativa ao Partido Socialista (PS)”.

“Luís Montenegro é a pessoa mais bem preparada para assumir o PSD e, mais à frente, a condução do país”, afirmou ao jornal “Expresso”, sublinhando que “Luís Montenegro transformará o PSD numa efetiva alternativa ao PS”.

A antiga ministra afasta, assim, a possibilidade de se candidatar à presidência do PSD, depois de o ex-presidente da República Aníbal Cavaco Silva a ter lançado indiretamente na corrida.

Numa declaração por escrito, após as eleições legislativas de 6 de outubro, o ex-chefe de Estado considerou que “a tarefa mais importante e urgente que o PSD tem agora à sua frente é a de reconstruir a unidade do partido e de mobilizar os seus militantes”, trazendo “ao debate das ideias e ao esclarecimento e combate político os militantes que, por razões que agora não interessa discutir, se afastaram ou foram afastados”.

“Como é o caso de Maria Luís Albuquerque, uma das mulheres com maior capacidade de intervenção, que conheci durante o meu tempo de presidente, e muitos outros”, enunciou.

O PSD teve 27,76% dos votos nas eleições legislativas, o que corresponde ao pior resultado dos últimos 20 anos. Ainda assim, o atual líder, Rui Rio, recusa-se a falar de “derrota” e, ao que o JE apurou, pondera recandidatar-se à liderança do PSD. Na corrida estão já também Luís Montenegro e o vice-presidente da Câmara de Cascais, Miguel Pinto Luz, que formalizou esta sexta-feira a sua candidatura.

Ao que tudo indica, Rui Rio deve cumprir o mandato até ao fim e não deve antecipar o calendário das eleições diretas. A confirmar-se esse cenário, só em janeiro é que os candidatos irão a votos no partido.

Ler mais
Recomendadas

Exclusivo: Governo leva à concertação social proposta de 635 euros para salário mínimo em 2020

A ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho, vai levar aos parceiros sociais esta quarta-feira, 13 de novembro, uma proposta de actualização em 35 euros do salário mínimo nacional (SMN) para 2020. Aumento do SMN não contará com acordo dos patrões e será fixado unilateralmente, passando para os 635 euros, após meta de 750 euros fixada para 2023.

Comissão quer que solução adotada para PAN seja válida para novos deputados únicos

A recomendação abre a porta a que os deputados únicos do Chega, Iniciativa Liberal e Livre possam fazer uma intervenção de um minuto e meio no debate quinzenal com o primeiro-ministro desta quarta-feira. Falta apenas a aprovação do presidente do Parlamento, Eduardo Ferro Rodrigues.

PS quer dar um minuto para deputados únicos intervirem no Parlamento

O PS entregou hoje alterações ao Regimento da Assembleia da República, prevendo que os deputados únicos (Chega, Iniciativa Liberal e Livre) tenham um minuto de tempo de intervenção em debates quinzenais com o primeiro-ministro já na quarta-feira.
Comentários