PSI 20 acompanha Europa em queda

O principal índice bolsista português cai 0,42%, para 5.345,51 pontos.

O principal índice bolsista português, PSI 20, cai 0,42%, para 5.345,51 pontos, em linha com as principais praças europeias esta quinta-feira, 18 de abril. Apesar da underperformance do índice,  em Lisboa, na primeira hora da sessão, a Navigator destaca um dividendo de 0,27 euros por ação, o que corresponde a uma yield de 6,65%. A empresa cotada soma 0,97%, para 3,96 euros, incapaz de inverter a tendência.

Mas a penalizar o PSI 20 estão as desvalorizações dos títulos da Mota-Engil (-1,57%), BCP (-0,64%), Altri (0,96%), Pharol (-0,91%) e Galp (-0,21%).

De referir que o recuo da Pharol ocorre depois de a empresa ter informado que passou a ser titular de 326.259.859 ações ordinárias e 1.800.00 ações preferenciais, totalizando 328.059.859, representativas de 5,51% do capital social da brasileira Oi.

Além da Navigator, negoceiam em terreno positivo os títulos da Jerónimo Martins, da Sonae SGPS e do grupo EDP.

Nas principais praças europeias, os investidores observam os próximos passos da tensão comercial que ainda se vive entre as duas maiores economias do mundo, China e Estados Unidos. De acordo com o “Wall Street Journal”, norte-americanos e chineses estão a delinear uma série de encontros entre as autoridades dos dois países em antecipação de uma possível cerimónia de assinatura de um acordo no final de maio ou no início de junho.

A sessão desta quinta-feira é a última da semana e, devido à quadra da Páscoa, a Bolsa de Lisboa só volta a negociar na terça-feira, 23 de abril.

[Dados das 8h43]

 

Ler mais
Recomendadas

Libra em alta depois de Barnier afirmar que um acordo para o Brexit é possível esta semana

Londres e Bruxelas continuam a negociar a saída do Reino Unido da União Europeia a poucos dias da reunião do Conselho Europeu de 17 e 18 de outubro em Bruxelas, que tem sido encarada como a última oportunidade para evitar uma saída britânica sem acordo. Os mercados, sobretudo o segmento cambial, têm sido voláteis no que respeita ao Brexit

Galp, Mota-Engil, BCP e Navigator impulsionam bolsa de Lisboa

Em Lisboa, catorze empresas cotadas valorizam, duas desvalorizam e outras duas negoceiam sem variação.

PremiumOs investidores sentem falta do dinamismo da bolsa portuguesa

Ricardo Seixas, administrador-delegado da Fidentiis Gestión, diz em entrevista, que a bolsa não reflete o tecido empresarial português.
Comentários