Quem negociou o contrato milionário de Jesus para o Al-Hilal? Estes são os protagonistas

Macedo Vitorino & Associados foi a sociedade de advogados responsável pela assessoria a Jorge Jesus que garantiu ao ex-treinador do Sporting um contrato milionário de sete milhões de euros, limpos de impostos, por uma época. Veja aqui quem são os advogados que negociaram acordo com clube da Arábia Saudita.

A Macedo Vitorino & Associados foi a sociedade de advogados que assessorou o treinador Jorge Jesus no contrato de trabalho desportivo como novo treinador do clube saudita Al-Hilal. Em causa está um contrato milionário assinado no início de junho, no qual o ex-treinador do Sporting vai ganhar sete milhões de euros limpos por temporada. A este valor ainda podem ser acrescentados mais três milhões de euros caso o treinador atinja determinados objetivos.

Os advogados Luís Miguel Henrique (quarto na foto) e Manuela Glória, consultores da Macedo Vitorino & Associados, e Pedro Ribeiro e Castro (primeiro na foto), advogado na sociedade Al Tamimi & Company, que representa o clube na pessoa de Sami AL Jaber (presidente do Al-Hilal, terceiro na foto), foram os responsáveis por esta negociação do vínculo contratual do treinador por uma época desportiva com o clube saudita.

O contrato milionário com Al Hilal foi assinado a 5 de Junho em Zurique, tendo esta sociedade de advogados assegurado a entrada direta de  Jorge Jesus para o grupo exclusivo dos oito treinadores que mais ganham no mundo.

O acordo, válido por uma temporada com mais uma de opção,  foi assinado com o presidente do clube saudita, Sami Al-Jaber, que contou com o apoio do xeique Turki Al Alshikh, conselheiro real e presidente da Autoridade Geral para o Desporto, da Federação Árabe de Futebol e do Comité Olímpico.

O encontro, que estava previamente acordado para Riade, acabou por se realizar na Suíça por conveniência de ambas as partes. As negociações decorreram durante horas e, já ao final da noite, surgiu fumo branco, com o clube da Arábia Saudita a anunciar a contratação através das suas redes sociais, onde partilhou vídeos da parte final da reunião.

Jorge Jesus abandonou o Sporting por mútuo acordo, abdicando da massa salarial que iria auferir em 2018/19. O pré-acordo que tem com a SAD prevê que receba só o mês de junho, ficando depois livre para abraçar o novo projeto profissional.

Sociedade acompanha Jesus há 18 anos

Desde 2000 que os consultores da Macedo Vitorino e sua equipa têm acompanhado o treinador.

“Este facto vem reforçar a importância que a área do Direito do Desporto ocupa nesta sociedade”, realça a sociedade em comunicado.

Recorde-se que a Macedo Vitorino e Associados – Sociedade de Advogados foi fundada em 1996, centrando a sua atividade na assessoria a clientes nacionais e estrangeiros. Tem experiência em diversos sectores de atividade comercial e industrial, assumindo especial relevância a banca, as empresas de comunicações e energia, as empresas de distribuição de grandes marcas internacionais e tecnologias de informação. A percentagem de clientes provenientes de fora de Portugal é, hoje, superior a 60%, destacando-se o Reino Unido, a França, a Espanha e os Estados Unidos da América.

Ler mais
Recomendadas

Governo já enviou para Bruxelas esboço do Orçamento, mas só divulga na quarta-feira

Portugal já enviou para a Comissão Europeia o esboço do Orçamento do Estado para 2020, apurou o Jornal Económico junto de fonte governamental. No entanto, o documento apenas será divulgado esta quarta-feira de manhã no portal do Governo.

Conselho Económico e Social aponta desvio de 2 mil milhões no investimento público entre 2016 e 2018

A conclusão integra o projeto de parecer do Conselho Económico e Social (CES) sobre a Conta Geral do Estado (CGE) relativa a 2018 a que a Lusa teve hoje acesso.

CGA perdeu quase 32 mil subscritores nos últimos três anos, diz UTAO

A redução do número de subscritores, que em agosto totalizavam 435.837, “é natural”, explica a UTAO, pois a CGA é um sistema fechado a novas inscrições desde 2006, altura em que os novos trabalhadores da administração pública passaram a inscrever-se no regime da Segurança Social.
Comentários