“Racismo” e “preconceito”. Isabel dos Santos reage a investigação jornalística a nível mundial

Os Luanda Leaks têm 715 mil documentos, entre e-mails, contratos, auditorias, e contas que foram obtidas por uma plataforma de denunciantes em África (PPLAAF), que depois foi partilhada com a ICIJ.

Reuters

A empresária angolana Isabel dos Santos reagiu este domingo no Twitter a uma investigação de um consórcio internacional de jornalistas de investigação (ICIJ) que sugere que Isabel dos Santos beneficiou de imensas oportunidades derivadas de Eduardo dos Santos, antigo presidente de Angola e pai de Isabel dos Santos, enquanto dirigiu o país.

Isabel dos Santos realça que a sua fortuna nasceu com o seu “carácter, inteligência, educação, capacidade de trabalho, perseverança” e que continua a ver o “racismo” e “preconceito” por parte dos órgãos de comunicação social portugueses que fazem parte do consórcio internacional: Expresso e SIC.

Os Luanda Leaks têm 715 mil documentos, entre e-mails, contratos, auditorias, e contas que foram obtidas por uma plataforma de denunciantes em África (PPLAAF), que depois foi partilhada com a ICIJ.

Ler mais
Relacionadas

Luanda Leaks revela como Isabel dos Santos construiu fortuna à custa de Angola

O Luanda Leaks têm 715 mil documentos, entre e-mails, contratos, auditorias, e contas que foram obtidas por uma plataforma de denunciantes em África (PPLAAF), que depois foi partilhada com a ICIJ.

Isabel dos Santos sente “legitimidade de reclamar” porque “outros corruptos” continuam “incólumes”, defende ativista angolano

Para Sedrick de Carvalho, há em Angola “um grande truque de ilusionismo político” e a luta contra a corrupção é uma “pedra de arremesso” num processo de mudanças de poder internas no MPLA, não existindo, de facto, uma mudança no país, mas “uma continuidade, uma mesmice de comportamentos”.
Recomendadas

Luanda Leaks: Caso provoca polémica nos escuteiros católicos portugueses

O envolvimento no caso ‘Luanda Leaks’ do nome do chefe nacional dos escuteiros católicos portugueses, que deverá tomar posse no sábado para novo mandato, está a causar polémica e há quem defenda já a realização de novas eleições.

Isabel dos Santos deve mais de 500 milhões de euros à banca

O regulador bancário já terá pedido a todas as instituições uma atualização sobre os financiamentos, assim como aos auditores externos para verificarem a adequação dos níveis de imparidades, noticia o “Expresso”. “Correio da Manhã” revela que CGD e BCP concentram os valores mais elevados dos empréstimos.

Sindicato bancário interessado na participação de Isabel dos Santos na Efacec

A proposta do sindicato bancário envolve a constituição de um veículo, que depois da conversão de dívidas em capital, reúna as participações correspondentes a cada instituição, tendo esta “aquisição” um cariz temporário já que o objetivo posterior é alienar a um novo investidor.
Comentários