PremiumRadicalismo aumenta entre republicanos e democratas

Influência de Trump e viragem de Biden à esquerda alarga fosso entre os dois partidos norte-americanos. Ficará tudo esclarecido nas intercalares de 2022.

Depois de um primeiro momento, logo a seguir à tomada de posse, que o presidente norte-americano, o democrata Joe Biden, parecia estar a seguir um caminho de convergência com a oposição republicana, tudo isso parece agora ter ficado para trás: tendo em vista as eleições intercalares do próximo ano, os republicanos estão cada vez mais radicalizados à direita.

As intenções de Biden pareciam ser as melhores, segundo os analistas: o país estava profundamente dividido depois de umas eleições que partiram duplamente os Estados Unidos a meio (em resultados, mas também nessa espécie de “ame-o ou deixe-o” protagonizado pelo candidato Donald Trump, com o epicentro no assalto dos seus apoiantes ao Capitólio – precisava de reencontrar uma posição fortalecida junto dos parceiros internacionais, e até mesmo o grande tema internacional de então, a China, tendia mais a fazer convergir que a afastar democratas e republicanos.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

PremiumSuba: A um nível superior

E na freguesia de Santa Catarina, no bairro da Bica, junto ao miradouro do Adamastor, que se localiza um dos tesouros menos conhecidos da capital, o Hotel Verride Palácio Santa Catarina.

PremiumJoão Rodrigues: De câmara e fato de neoprene, a sua missão é salvar os oceanos

Premiado internacionalmente e colaborador regular da revista “National Geographic Portugal”, João Rodrigues não prescinde da sua câmara para divulgar os mares portugueses e sensibilizar a comunidade para a importância da sua conservação.

PremiumAbreu faz parceria na Guiné para responder a investidores

Crescente interesse de investidores na Guiné-Bissau levou a Abreu Advogados a reforçar a sua relação com a Armindo Serqueira Advogados, alargando a capacidade da rede em países de língua portuguesa.
Comentários