Receita fiscal cai 2.822,7 milhões de euros ‘arrastada’ pela quebra do IVA e IRC

“No mês de setembro a receita fiscal líquida acumulada do subsetor Estado volta a refletir os efeitos da pandemia covid-19, registando-se uma queda de 2.822,7 milhões de euros (-8,3%) face aos primeiros nove meses de 2019”, refere a Direção-Geral do Orçamento (DGO).

A receita fiscal do subsetor Estado registou uma redução de 2.822,7 milhões de euros até setembro, recuando 8,3% face ao mesmo período de 2019, refletindo os efeitos da pandemia, segundo a Síntese de Execução Orçamental hoje divulgada.

“No mês de setembro a receita fiscal líquida acumulada do subsetor Estado volta a refletir os efeitos da pandemia covid-19, registando-se uma queda de 2.822,7 milhões de euros (-8,3%) face aos primeiros nove meses de 2019”, refere a Direção-Geral do Orçamento (DGO).

Esta queda, indica a DGO, “apresenta uma continuidade com a variação registada na receita acumulada em agosto”, em que se registou um recuo de 7,8% em termos homólogos.

No total, o valor de impostos arrecadados nos primeiros nove meses deste ano ascendeu a 31.344,6 milhões de euros. No mesmo período de 2019, o valor global da receita fiscal foi de 34.167,4 milhões de euros.

O IRC e o IVA foram os que mais contribuíram para aquela quebra, com a receita destes dois impostos a refletir o impacto das medidas tomadas pelo Governo para mitigar os efeitos da pandemia na tesouraria das empresas.

Relacionadas

Dados da execução orçamental mostram défice de mais de 5 mil milhões de euros até setembro

Contrastando com o superavit que se verificava em igual período do ano passado, o saldo das administrações públicas portuguesas é agora negativo, depois da quebra de receita que trouxe a diminuição da atividade económica e do aumento da despesa para fazer face aos efeitos nefastos da crise pandémica.
Recomendadas

Topo da agenda: o que vai marcar a atualidade esta quinta-feira

A proposta foi aprovada na generalidade, a 28 de outubro, com os votos favoráveis do PS e as abstenções do PCP, PAN, PEV e das deputadas Joacine Katar Moreira e Cristina Rodrigues.

OE2021: Aprovada proposta para pagamento em prestações de IVA e IRC até 15 mil euros

A medida aplica-se apenas a tributos cujo valor no momento do requerimento e a pagar em prestações seja inferior a 15.000 euros.

Aprovada proposta que remete concurso do ‘IVAucher’ para fiscalização à posteriori do TdC

Em causa está um mecanismo, apelidado de ‘IVAucher’, que permite ao consumidor final acumular o valor correspondente à totalidade do IVA suportado em consumos nos setores do alojamento, cultura e restauração, durante um período (12 semanas) e utilizar esse valor, durante as 12 semanas seguintes, em consumos nesses mesmos setores.
Comentários