Regiões fronteiriças de Portugal e Espanha com plano estratégico comum para turismo e agroalimentar

O projeto, que abrange 11 zonas transfronteiriças, prevê a criação de rotas do queijo, do bordado e da cerâmica.

As regiões fronteiriças de Portugal e Espanha definiram e apresentaram um plano estratégico comum para as áreas do turismo e agroalimentar.

“As regiões fronteiriças do Centro e Norte de Portugal e dos seus vizinhos em Espanha apresentaram hoje [dia 29 de junho] um plano estratégico comum, apoiado pela União Europeia, que visa promover em conjunto recursos endógenos nas áreas do turismo e agroalimentar”, esclarece um comunicado do Turismo do Centro de Portugal.

Segundo essa informação, “a reunião de parceiros do ‘Projeto CRECEER’, que decorreu através de plataformas digitais, foi marcada pela apresentação da proposta de um Plano Estratégico Interregional (PEI) para 2020-2023, o qual vai juntar os esforços das 11 zonas do território abrangido pelo projeto”.

“O ‘CRECEER’ é um projeto transfronteiriço, financiado por fundos europeus, que tem como principal objetivo estabelecer sinergias entre 11 zonas transfronteiriças, tendo em vista melhorar a competitividade de pequenas e médias empresas nos setores turístico e agroalimentar ‘gourmet'”, adianta o referido comunicado, explicando que os 11 territórios abrangidos pelo ‘Projeto CRECEER’ são a Beira Baixa e Beiras e Serra da Estrela, no Centro de Portugal; Douro e Trás-os-Montes, no Norte; e El Bierzo, Vitigudino, Ciudad Rodrigo, Ávila, Toro, Sanabria e Aliste-Tábara-Alba, em Espanha.

O comunicado em questão sublinha que “antes da elaboração do Plano Estratégico Interregional, cada uma das zonas ‘CRECEER’ definiu a caracterização particular do seu território e apresentou um Plano Estratégico individual de Atuação”, adiantando que “o PEI agora apresentado surge na sequência deste trabalho prévio e identificou já recursos endógenos gastronómicos comuns nas 11 regiões, que, associados à oferta turística existente, são as prioridades do projeto”.

“O queijo, o vinho, o azeite, as carnes frescas e as frutas são os recursos estratégicos em todos os territórios em que vão incidir os primeiros esforços de sinergia do ‘CRECEER’. Outros recursos comuns igualmente identificados foram os de interesse turístico – os parques e espaços naturais, as praias e portos fluviais, as zonas de pesca e os trilhos de caminhada, além de museus e património monumental e histórico. Foram também indicados eventos de interesse turístico, como eventos desportivos, feiras, festivais de música e festividades religiosas”, assinala o comunicado do Turismo do Centro de Portugal.

Para os responsáveis desta iniciativa, “a estratégia a desenvolver pelo Projeto ‘CRECEER’, alicerçada na criação de redes de cooperação empresarial, passa por ações de promoção conjunta, entre outros eixos estratégicos”.

“Os próximos passos incidirão na concretização dos objetivos do plano, nomeadamente ao nível do desenvolvimento de produto e criação de novos pacotes turísticos, nomeadamente Rotas do Queijo, Rota do Bordado e Rota da Cerâmica”, revela o comunicado em questão.

 

Ler mais
Recomendadas

Quarta edição do ‘ECOTROPHELIA Portugal’ recebeu 62 candidaturas de 14 instituições de ensino

O setor agroalimentar nacional foi um dos mais afetados pela pandemia da Covid-19, sendo que, para garantir o abastecimento alimentar de todo o território, os produtores sofreram um aumento dos custos e a redução das suas margens de lucro.

Jorge Monteiro assume presidência da ACIBEV

Na eleição dos órgãos sociais para o mandato 2020/2023, António Soares Franco mantém-se como presidente da Mesa da Assembleia Geral da associação, em representação da José Maria da Fonseca, enquanto João Roquette, em representação do Esporão, assumiu a presidência do Conselho Fiscal.

Pedro Soares foi reeleito para terceiro mandato à frente da CVR Bairrada

Uma das grandes apostas para o novo mandato será a criação de um centro de competências do espumante português.
Comentários