Reguengos de Monsaraz: PSD acusa ministra de “desvalorizar o problema” e pede demissão de Ana Mendes Godinho

O deputado do PSD Ricardo Baptista Leite destacou, num publicação através das redes sociais, que “os mais velhos não podem ser vítimas dos jogos e irresponsabilidade do Governo”.

Flickr/PSD

O deputado do PSD Ricardo Baptista Leite reagiu este sábado, 15 de agosto, à entrevista da ministra do Trabalho ao “Expresso”, na qual a governante desconsiderou os surtos nos lares, e acusou Ana Mendes Godinho de “desvalorizar o problema”. Já a vereadora do PSD na Câmara Municipal de Lisboa (CML), Sofia Vala Rocha, pediu a demissão da ministra do Trabalho.

“Desvaloriza o problema, diz que não leu o relatório da auditoria (devastadora) sobre as mortes no lar de Reguengos de Monsaraz e afirma que não é nada com o seu Ministério. Como é possível?! Os mais velhos não podem ser vítimas dos jogos e irresponsabilidade do Governo”, apontou Ricardo Baptista Leite através do Twitter.

 

 

Por sua vez, a vereadora do PSD na CML, Sofia Vala Rocha, que também partilhou a sua opinião através do Twitter, frisou que “a ministra da Segurança Social hoje mostra a mesma insensibilidade, frieza e alienação que a ministra da administração interna mostrou aquando da mortandade de Pedrogão”.

“António Costa não as demite. Presidente Marcelo, faça como da outra vez. Demita-a”, pediu Sofia Vala Rocha este sábado, 15 de agosto.

 

As afirmações da ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social ao jornal “Expresso”, onde apontou que não fazia sentido falar de casos concretos de surtos da Covid-19 em lares e sobre a situação ocorrida em Reguengos de Monsaraz, tem suscitado reações políticas. Antes do PSD, O líder dos CDS-PP pediu este sábado a demissão da ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social.

“A reação da ministra da Solidariedade Social à morte de 18 idosos em Reguengos de Monsaraz é dizer que não leu o relatório da Ordem dos Médicos e desvalorizar o impacto da pandemia nos lares”, afirmou Francisco Rodrigues dos Santos. “O vírus é uma ameaça preocupante. Mas incompetência da Ministra também. A sua continuidade em funções é uma questão de saúde pública. Pedimos que se mantenha em férias e dê lugar a outro”, escreveu o líder do CDS-PP no Facebook.

Ler mais
Relacionadas

Líder do CDS-PP pede demissão da ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social

Francisco Rodrigues Dos Santos considerou também que Portugal tem “uma ministra da Insensibilidade Social” e lembrou que “40% das mortes por Covid em Portugal ocorreram em lares”.

Dimensão dos surtos em lares “não é demasiado grande”, aponta ministra da Segurança Social

Segundo números avançados por Ana Mendes Godinho, foram aprovadas até agora 5.800 pessoas para instituições do setor social, sendo que o objetivo é colocar cerca de 15 mil até ao final do ano.
Recomendadas

PCP identifica seis cadeias de dependência externa que implicam “colonização económica e política”

Turismo, grande distribuição e a aposta no lítio e no hidrogénio não foram esquecidos na análise (muito crítica) que os comunistas fazem à economia portuguesa nas Teses que servirão de base ao XXI Congresso, que decorrerá entre 27 e 29 de novembro.

Hamas e Fatah chegam a acordo para a realização de eleições daqui a seis meses

Depois de 15 anos sem atos eleitorais, na sequência dos confrontos que resultaram da tentativa de coligação em 2006, as duas principais fações palestinianas procuram dar sinais de união numa altura em que o restante mundo árabe parece aberto à normalização dos laços com Israel.

Presidenciais: Paulo Pedroso na “estrutura organizativa” da candidatura de Ana Gomes

O ex-ministro do Trabalho Paulo Pedroso vai integrar a “estrutura organizativa” da candidatura de Ana Gomes a Presidente da República, confirmou hoje a própria numa declaração à agência Lusa.
Comentários