Reino Unido aceita prolongar aplicação provisória do acordo de comércio com UE

Numa carta de resposta ao pedido formalizado pelo vice-presidente da Comissão Europeia, Maroš Šefčovič, o ministro de Estado britânico, Michael Gove, concordou, mas manifestou expectativa de que seja possível concluir o processo antes, excluindo uma nova extensão.

O Reino Unido concordou, a pedido da União Europeia (UE), prolongar o período de aplicação provisória do acordo comercial pós-Brexit até 30 de abril, para dar tempo ao Parlamento Europeu para ratificá-lo, confirmou hoje o Governo britânico.

Numa carta de resposta ao pedido formalizado pelo vice-presidente da Comissão Europeia, Maroš Šefčovič, o ministro de Estado britânico, Michael Gove, concordou, mas manifestou expectativa de que seja possível concluir o processo antes, excluindo uma nova extensão.

“Como sabe, a aplicação provisória do Acordo não foi o desfecho favorecido pelo Reino Unido tendo em conta a incerteza que cria para os indivíduos e empresas (…). Prolongar o período de aplicação provisória prolonga essa incerteza”, vinca, na missiva tornada pública hoje.

Finalizado em 24 de dezembro de 2020, o Acordo de Comércio e Cooperação entre o Reino Unido e UE foi ratificado pelas instituições britânicas ainda em dezembro, mas a Comissão Europeia decidiu aplicar o documento de maneira provisória para permitir o escrutínio do Parlamento Europeu.

“Trata-se de uma extensão técnica para permitir o tempo necessário para a conclusão da revisão jurídico-linguística do acordo em todas as 24 línguas, para o seu escrutínio pelo Parlamento Europeu e pelo Conselho”, explicou o executivo comunitário a 10 de fevereiro.

O Acordo de Comércio garante o acesso mútuo dos mercados sem quotas nem taxas aduaneiras.

Ler mais
Recomendadas

Governo espera reabrir turismo em maio

“Por enquanto, as viagens não essenciais precisam de ser restritas, mas acreditamos que Portugal vai poder permitir viagens sem restrições em breve, não só para pessoas vacinadas, mas também para pessoas imunes ou que testem negativo”, afirmou Rita Marques à BBC.

SATA aprova acordo de emergência. Sindicato diz que salvou mais de 500 postos de trabalho na TAP

Num universo de 213 associados tripulantes da SATA, votaram 152 associados, com 135 votos a favor e 17 votos contra o ‘Acordo de Emergência’, releva um comunicado do Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil, dando assim por concluído um processo que envolveu 40 reuniões com as administrações da PGA, da TAP e da SATA, num balanco global em que o sindicato destaca que se salvaram mais de 500 postos de trabalho na TAP.

Portugal vai entregar 60 mil testes à Covid-19 a Cabo Verde, Guiné-Bissau e São Tomé e Príncipe

As três nações dos PALOP recebem o material de diagnóstico e rastreio ao coronavírus entre esta sexta-feira e sábado.
Comentários