Reino Unido. Empresas podem ter de pagar até 30% do salário a quem está em lay-off

O governo do Reino Unido estendeu o esquema de retenção de empregos por mais quatro meses, na tentativa de amortizar o impacto do novo coronavírus na economia britânica.

Reino Unido | Getty Images

O Reino Unido elaborou alguns planos que exigem às empresas empregadoras cobrir entre 20% e 30% dos salários dos funcionário no mês de agosto, avança o jornal britânico ‘The Times’ citado pela ‘Reuters’. O objetivo desta medida, que o governo de Boris Johnson pretende implementar, é reduzir o fardo da crise da Covid-19 para o Executivo e melhorar as condições dos contribuintes britânicos.

No passado dia 12 de maio, o governo do Reino Unido estendeu o esquema de retenção de empregos por mais quatro meses, na tentativa de amortizar o impacto do novo coronavírus na economia britânica. No entanto, após anunciar a medida, o Executivo deixou claro que os empregadores teriam de ajudar a cobrir parte dos custos, garantindo parte dos salários a partir de agosto a quem se encontra em lay-off.

“O Tesouro desenhou um plano que requer aos empregadores cobrirem entre 20% e 30% dos salários do pessoal”, avançou o ‘The Times’, acrescentando que as empresas ainda seriam obrigadas a cobrir o custo das contribuições do seguro nacional de empregador, o que equivale a 5% dos salários.

Apesar do gabinete do ministro das Finanças, Rishi Sunak, negar responder ao ‘The Times’, esta deverá ser uma medida apresentada ao setor empregador durante a próxima semana. Sunak afirmou que o país estava a atravessar uma “séria crise económica” e que muitos postos de emprego iam ser perdidos durante os próximos meses.

Recomendadas

Plano de António Costa Silva visa portos, energia, digital e saúde

“Esta crise mostrou que o papel do Estado tem que ser mais valorizado, mais Estado na economia, o Estado é o último protetor contra todo o tipo de ameaças”, afirmou o gestor independente, que diz ser “favorável aos mercados”, convidado pelo primeiro-ministro para elaborar um plano de recuperação económica para o pós-pandemia Covid-19.

Luxair retoma voos para Faro com clientes luxemburgueses para hotéis do Grupo NAU

Cerca de 70 turistas do Luxemburgo ficaram alojados no o São Rafael Atlântico e o Salgados Dunas Suites, reabriram hoje, dia 31 de maio, as suas portas, e vão permanecer entre sete e 14 noites.

PremiumDominic Cummings: Um conselheiro de quem Boris Johnson recusa qualquer distanciamento

O estratego do Brexit nem sequer necessitou de ser eleito para ser o aliado de eleição do primeiro-ministro britânico. Ao ponto de ser mantido em funções após ser revelado que violou, sem sombra de arrependimento, as regras de confinamento durante a pandemia de Covid-19.
Comentários