Reino Unido põe em quarentena quem viajar de França e Holanda

Boris Johnson assume que o seu governo não vai permitir que a população do Reino Unido “volte a ser infetada ou que a doença volte”. A 24 de julho, o governo britânico já tinha decidido aplicar uma quarentena de 14 dias para quem venha de Portugal e Espanha, em resposta ao aumento diário de pessoas infetadas.

Twitter/G7

O Reino Unido anunciou que vai colocar de quarentena durante 14 dias todos aqueles que viajem de França e da Holanda. A obrigatoriedade entra em vigor já a partir de sábado. Na base desta decisão estão os receios de um aumento dos casos da Covid-19 nos países em questão.

Esta quarentena vai também ser aplicada para quem entrar no país proveniente de Malta, das ilhas Turcas e Caicos e de Aruba. A decisão sobre os turistas portugueses ainda não foi anunciada

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, referiu aos jornalistas que o seu país será “implacável” na hora de agir, “mesmo com os nossos amigos e parceiros mais próximos e queridos”, assumindo que o seu governo não vai permitir que a população do Reino Unido “volte a ser infetada ou que a doença volte”, segundo as declarações divulgadas pela imprensa local.

A 24 de julho, o governo britânico já tinha decidido aplicar uma quarentena de 14 dias para quem venha de Portugal e Espanha, em resposta ao aumento diário de pessoas infetadas pelo novo coronavírus. Portugal ficou assim, de fora do corredor aéreo, que dispensa quarentena no regresso ao país devido à pandemia.

Ontem, o Reino Unido relatou 18 mortes por Covid-19, tendo o total de mortes desde o início da pandemia atingido os 41.347.

Recomendadas

Fisco vai anular multas de 75 euros a trabalhadores independentes que esperam apoio extraordinário

A denúncia partiu hoje da Precários Inflexíveis, dando conta que muitos destes trabalhadores relataram à associação não conseguir submeter o pedido para o apoio relativo a julho, devido ao prazo curto para submeter o requerimento (uma semana, sem aviso prévio) e o tempo que leva a ser confirmada a reabertura de atividade.

Bolsonaro diz que subsídios para os mais pobres na luta contra a pandemia não são eternos

De acordo com a imprensa brasileira, Bolsonaro justifica o aumento da despesa pública com a atribuição de subsídios aos mais carenciados, para mitigar efeitos da pandemia da Covid-19. Contudo, o presidente do Brasil diz que apoios não são para sempre.

Covid-19: Açores com sete novos infetados nas últimas 24 horas

A autoridade de saúde regional “decorrentes das 1.020 análises realizadas nos dois laboratórios de referência da região nas últimas 24 horas, foram diagnosticados sete casos positivos de covid-19”, dos quais “três em São Miguel, um na Terceira e três no Faial”.
Comentários