Reino Unido retira quarentena a turistas franceses totalmente vacinados

“Apesar de continuarmos a ser cautelosos, as mudanças de hoje reabrem uma série de destinos de férias diferentes em todo o mundo, o que é uma boa notícia tanto para o sector quanto para quem viaja”, sublinhou o ministro dos transportes britânico.

EPA/VICKIE FLORES

O Reino Unido vai descartar a quarentena para turistas totalmente vacinados que venham de França para a Inglaterra e Escócia, invertendo assim uma regra que enfureceu os políticos franceses.

A Inglaterra e a Escócia também flexibilizaram as regras para a Áustria, Alemanha, Eslovénia, Eslováquia, Letónia, Roménia e Noruega, embora tenham aumentado o preço das estadias obrigatórias em hotéis em 60%, para 2.285 libras (2.686 euros) por adulto.

O ministro dos transportes da Grã-Bretanha, Grant Shapps, disse que a flexibilização das regras diminuirá a pressão sobre a indústria de viagens e dará aos turistas a hipótese de se reencontrarem com amigos e familiares.

“Apesar de continuarmos a ser cautelosos, as mudanças de hoje reabrem uma série de destinos de férias diferentes em todo o mundo, o que é uma boa notícia tanto para o sector quanto para quem viaja”, sublinhou Shapps em comunicado.

A decisão do executivo de Boris Johnson surge depois do governo francês demonstrar desagrado perante a medida anterior que obrigava os turistas franceses a ficarem em quarentena, mesmo quando outros países, como é o caso de Portugal, tinham deixado de estar sujeitos a essa restrição.

“É excessivo e, francamente, incompreensível por motivos de saúde. Não é uma medida inspirada na ciência e é discriminatória em relação aos franceses”, referiu o ministro francês da Europa, Clement Beaune, à televisão “LCI” citada pela “Reuters”, a 29 de julho. Beaune ansiava que a medida fosse alterada rapidamente e entretanto Boris Johnson já realizou o desejo dos franceses.

Os franceses ainda não se manifestaram, mas o sector das viagens congratulou-se com esta decisão. “Saudamos a inclusão de mais países de baixo risco na lista verde, mas pedimos que o governo vá mais além, que acabe com a incerteza e permita que as pessoas beneficiem do nosso programa de vacinação que é líder mundial”, disse Sean Doyle, presidente e CEO da British Airways.

O Reino Unido vacinou duas vezes mais a sua população do que a maioria dos outros países, mas criou um conjunto de regras que impediu viagens para muitos países, devastando a indústria aquela indústria.

Recomendadas

Covid-19: 180 mil professores e trabalhadores não docentes testados nas escolas

Segundo o Ministério da Educação, teve início esta segunda-feira, 20 de setembro, a segunda fase da operação de testagem que se prolonga até 1 de outubro e envolve os alunos do ensino secundário, seguindo-se os alunos do 3.º ciclo.

Portugal com mais 306 casos de Covid-19 e sete mortes

Boletim da DGS dá esta segunda-feira conta de mais 604 pessoas recuperadas da doença causada pelo vírus SARS-CoV-2.

“PRR na campanha autárquica? É gravíssimo e só demonstra a falta de vergonha do PS”, considera candidato da IL a Lisboa

Na última edição do programa “Primeira Pessoa, da plataforma multimédia JE TV, Bruno Horta Soares considerou “gravíssima” a entrada do Plano de Recuperação e Resiliência na campanha eleitoral, algo que no entender deste consultor, “só demonstra a falta de vergonha” dos socialistas.
Comentários