Renault apresenta quebras de receitas no primeiro trimestre

O grupo indica a venda de 665.038 veículos durante o primeiro trimestre de 2021, um aumento de 1,1% em comparação com o trimestre homólogo.

A marca francesa de automóveis Renault apresentou uma quebra de 1,1% nas receitas do primeiro trimestre, indica a empresa em comunicado. A perda de receitas acontece num momento em que o atual CEO, Luca de Meo, se foca nos modelos mais lucrativos da marca.

O grupo Renault, que detém as marcas Dacia e Lada, afirmou que as vendas totais no primeiro trimestre caíram para dez mil milhões de euros face ao ano anterior, sendo este o quinto trimestre consecutivo em que a empresa apresenta quebras nas receitas.

O grupo indica a venda de 665.038 veículos durante o primeiro trimestre de 2021, um aumento de 1,1% em comparação com o trimestre homólogo. “Este início de ano vem confirmar o impacto positivo da política comercial do grupo voltada para a rentabilidade, com um efeito de preço em mais de seis pontos percentuais”, lê-se no comunicado da empresa, onde indicam que o grupo está a avançar na venda de automóveis mais rentáveis.

A Renault fez saber que se está a concentrar nos segmentos mais lucrativos fora da Europa, concentrando-se na venda de SUVs na Índia e Rússia, com o lançamento do novo Kiger e do Duster.

Só a marca Renault vendeu 433.662 veículos do total no grupo durante o período em análise, o que significa um aumento de vendas de 1,3% em comparação com o mesmo trimestre de 2020. A marca Dacia vendeu 121.231 veículos, num aumento a 10,2% face ao período homólogo, com o grupo a destacar o lançamento do novo Sandero e as vendas do Duster, enquanto a Lada contabilizou a venda de 90.472 automóveis, apresentando uma queda de 0,1% em relação ao mesmo período de 2020.

A Alpine, marca desportiva da Renault, vendeu 423 carros no primeiro trimestre do presente ano, um aumento de 15,3% face ao período homólogo.

Com grande destaque nos automóveis elétricos, a Renault destaca na apresentação das contas do primeiro trimestre que as versões eletrificaram representaram 23% das vendas. “Após o lançamento do Twingo e-Tech Eletric, a marca Renault continua a expandir a sua linha com a chegada do novo híbrido Arkana e-Tech, do novo híbrido Captur e-Tech e do novo híbrido plug-in Megane hatchback e-Tech no segundo trimestre”, destaca a empresa.

Ler mais
Recomendadas

Carlos Ribas: “Não fosse esta situação dos componentes e este ano seria o melhor de sempre em vendas da Bosch em Braga”

Bosch fechou 2020 com uma quebra homóloga de 10%, para 1,6 mil milhões de euros, nas vendas em Portugal. Em entrevista ao Jornal Económico o representante do grupo alemão em Portugal, Carlos Ribas, justifica o decréscimo com o impacto da pandemia nas operações, sobretudo na divisão automóvel em Braga.

Startup inspira-se num dos maiores IPO da Europa para expandir mercado dos cacifos inteligentes

A empresa portuguesa Bloq.it prepara-se para fechar este mês uma ronda de investimento ‘seed’ de 550 mil euros, disse ao Jornal Económico o cofundador João Lopes. Mais do que guardar malas, os cacifos que se abrem com QR code são uma mais-valia para o negócio das entregas.

Grupo de trabalho defende subida de taxa nas barragens da Engie no rio Douro

Três das barragens pagam atualmente 67 mil euros por ano, mas com uma atualização da taxa passariam a pagar 751 mil euros anuais. Parte da receita da taxa de recursos hídricos deve ser usada no “apoio de projetos no território” impactado pelas barragens, defende o documento.
Comentários