Rendas das casas vão subir 0,51% em 2020

INE confirmou os dados da inflação da estimativa rápida relativos a agosto. Valor do arrendamento urbano e rural no próximo ano sobe 0,51%, abaixo do aumento de 1,15% registado este ano.

Os preços no Consumidor em Portugal em agosto caíram 0,1%, confirmou esta quarta-feira o Instituto Nacional de Estatística. Pelo segundo mês consecutivo, a inflação foi negativa, terreno onde entrou em julho, o que não acontecia há quatro anos.

“Esta evolução deve-se em parte à recuperação dos preços da classe dos restaurantes e hotéis, verificando-se, em sentido contrário, uma redução de preços dos combustíveis mais significativa em agosto que no mês anterior”, refere a nota divulgada pelo organismo de estatística.

Na estimativa rápida, agora confirmada, o INE revelou que a taxa de inflação em Portugal permaneceu negativa nos -0,1% em agosto, tendo subido ligeiramente face a julho, mês em que se fixou nos -0,3%.

O INE sublinha ainda que “o coeficiente de atualização dos diversos tipos de arrendamento urbano e rural para vigorar no ano civil de 2020, calculado tendo como referência a informação do IPC até ao mês de agosto, é 1,0051”. Ou seja, o valor das rendas  no próximo ano deverá voltar a subir em 0,51%, menos de metade do aumento registado este ano, de 1,15%.

Relacionadas

Rendas devem subir 0,51% em 2020, menos de metade que este ano

O valor das rendas deverá voltar a subir em 2020, em 0,51%, menos de metade do aumento registado este ano, de 1,15%, tendo em conta as estimativas da inflação dos últimos 12 meses até agosto.

INE: Inflação sobe ligeiramente em agosto mas permanece negativa

A estimativa rápida do INE revelou que a taxa de inflação em agosto se fixou nos -0,1%, o que representa uma subida ligeira face ao mês anterior. A subida dos preços na restauração e hotelaria sustentaram esta evolução.

Inflação na zona euro em agosto manteve-se estável

Entre os bens que entram no cabaz que serve cálculo à taxa de inflação, o Eurostat prevê que em agosto a maior subida tenha sido verificada nas bebidas alcoólicas e tabaco, que alcançou os 2,1%, um aumento de dois pontos base.
Recomendadas

Direito de Resposta: “Inspetor Geral de Finanças não é arguido, mas antes promotor e principal interessado em investigação em curso”

IGF garante que foram o Conselho de Inspeção e o Inspetor-Geral da IGF que participaram os indícios de crimes praticados por trabalhadores e em relação aos quais esses trabalhadores foram constituídos arguidos. “Em retaliação, um desses trabalhadores apresentou queixa contra a sua superior hierárquica e contra o Inspetor-Geral no âmbito da auditoria à Cruz Vermelha Portuguesa, os quais imediatamente se disponibilizaram para a realização de todas as investigações judiciais necessárias à salvaguarda do seu bom nome e das instituições públicas visadas e à efetiva condenação do trabalhador, autor de atos ilícitos”, refere. “Assim, o Inspetor-Geral de Finanças não é arguido, mas antes promotor, agente ativo e principal interessado na referida investigação”, conclui.

Governo já pediu a Bruxelas que IVA da luz possa variar em função do consumo

Executivo já iniciou processo para ter autorização da Comissão Europeia para criar escalões de consumo para o IVA da eletricidade.

Maria e Francisco foram os nomes mais escolhidos para bebés em Portugal este ano

Francisco foi pela primeira vez o nome mais escolhido para rapazes, Maria mantém a primeira posição entre as raparigas.
Comentários