Rendas na área metropolitana de Lisboa chegam a pesar 75% nos bolsos das famílias

A taxa de esforço média na compra de casa própria aumentou para as famílias da Área Metropolitana de Lisboa (AML), para 28%, provocando uma explosão de preços, noticia o “Público” esta segunda-feira, 21 de outubro. Arrendar sai ainda mais caro, com as rendas a levar metade dos rendimentos das famílias.

A taxa de esforço média na compra de casa própria aumentou para as famílias da Área Metropolitana de Lisboa (AML), para 28%, provocando uma explosão de preços, noticia o “Público” esta segunda-feira, 21 de outubro. Arrendar sai ainda mais caro, com as rendas a levar metade dos rendimentos das famílias.

O estudo da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa “Tendências recentes de segregação habitacional na AML, citado pelo jornal, aponta que o acesso ao mercado de habitação se encontrar cada vez mais limitado a um número restrito de zonas menos centrais e, na sua maioria, na margem sul. Facto preocupante para as família cujas rendas representam 50% ou até mesmo 75% dos rendimentos.

Entre 2016 e 2018, a taxa média de esforço para comprar casa na AML passou dos 25% para os 28%. Mas, analisando os municípios, há três onde comprar uma casa representa um esforço ainda maior, nomeadamente na cidade de Lisboa (58%). Em Cascais essa taxa de esforço chega aos 53% e em Oeiras aos 44%.

Entre as 24 freguesias do município de Lisboa, a taxa de esforço média na aquisição de habitação subiu em todas, sendo que há 14 onde esse esforço supera a média do município. A freguesia de Santo António, com uma taxa de esforço média de 91%, está no topo da tabela.

O estudo concluiu anda que arrendar sai ainda mais caro. Na AML, as rendas representam uma taxa de esforço média de 46%. Na cidade de Lisboa, arrendar uma casa própria representa um custo muito maior: 67%. Há 13 freguesias com taxas mais elevadas do que a média do município, sendo que no Parque das Nações observou-se uma taxa de esforço de 99% no final de 2018.

Recomendadas

PremiumMiguel Cabrita Matias: “Não vamos ter problemas no mercado de luxo”

Previsões das agências de ‘rating’ e ‘research’ estimam que este segmento não vai ser afetado pela pandemia. “É um mercado com clientes muito específicos. Das vendas previstas, não houve nenhuma desistência”, diz ‘board member’ da Mexto.

Moratórias das rendas prolongadas até setembro

Lei publicada esta sexta-feira em Diário da República, prevê que inquilinos que tenham uma perda superior a 20% dos rendimentos e cuja taxa de esforço ultrapasse os 35% fiquem isentos de pagar as rendas até 1 de setembro.

Unión de Créditos Imobiliários vai gerar 100 milhões de euros em financiamento ecológico com BEI

Este acordo vai permitir à UCI gerar uma carteira de financiamento ecológico em Espanha e Portugal de, pelo menos, 100 milhões de euros.
Comentários