Rendas na área metropolitana de Lisboa chegam a pesar 75% nos bolsos das famílias

A taxa de esforço média na compra de casa própria aumentou para as famílias da Área Metropolitana de Lisboa (AML), para 28%, provocando uma explosão de preços, noticia o “Público” esta segunda-feira, 21 de outubro. Arrendar sai ainda mais caro, com as rendas a levar metade dos rendimentos das famílias.

A taxa de esforço média na compra de casa própria aumentou para as famílias da Área Metropolitana de Lisboa (AML), para 28%, provocando uma explosão de preços, noticia o “Público” esta segunda-feira, 21 de outubro. Arrendar sai ainda mais caro, com as rendas a levar metade dos rendimentos das famílias.

O estudo da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa “Tendências recentes de segregação habitacional na AML, citado pelo jornal, aponta que o acesso ao mercado de habitação se encontrar cada vez mais limitado a um número restrito de zonas menos centrais e, na sua maioria, na margem sul. Facto preocupante para as família cujas rendas representam 50% ou até mesmo 75% dos rendimentos.

Entre 2016 e 2018, a taxa média de esforço para comprar casa na AML passou dos 25% para os 28%. Mas, analisando os municípios, há três onde comprar uma casa representa um esforço ainda maior, nomeadamente na cidade de Lisboa (58%). Em Cascais essa taxa de esforço chega aos 53% e em Oeiras aos 44%.

Entre as 24 freguesias do município de Lisboa, a taxa de esforço média na aquisição de habitação subiu em todas, sendo que há 14 onde esse esforço supera a média do município. A freguesia de Santo António, com uma taxa de esforço média de 91%, está no topo da tabela.

O estudo concluiu anda que arrendar sai ainda mais caro. Na AML, as rendas representam uma taxa de esforço média de 46%. Na cidade de Lisboa, arrendar uma casa própria representa um custo muito maior: 67%. Há 13 freguesias com taxas mais elevadas do que a média do município, sendo que no Parque das Nações observou-se uma taxa de esforço de 99% no final de 2018.

Recomendadas

Preços das casas em oito bairros de Lisboa já ultrapassam os cinco mil euros por metro quadrado

Chiado, Avenida da Liberdade, Barata Salgueiro, Baixa, Glória, Picoas, Bairro Alto e o eixo S.Paulo/Boavista/Conde Barão são as oito zonas da capital com preços mais elevados. O preço médio de venda das casas é de 3.870 euros/m2.

Plataforma imobiliária já permitiu às famílias portuguesas poupar nove milhões de euros em apenas duas semanas

A Urbiwise possibilita aos seus utilizadores e de forma completamente gratuita avaliar os seus imóveis. Em somente duas semanas esta plataforma já registou mais de 60 mil avalições feitos por cidadãos portugueses.
jerónimo_de_sousa_cdu_pcp_pelislativas

PCP propõe mínimo de dez anos para os contratos de arrendamento de habitação

Deputados comunistas dizem que aumento da duração dos contratos é a solução para muitas famílias que “estão constantemente em mudanças e com a preocupação de encontrar novamente habitação”, no que consideram ser uma consequência das “injustiças” do Novo Regime de Arrendamento Urbano.
Comentários