Respostas Rápidas. Brexit: adiamento da saída foi aprovado. E agora?

Mais de dois anos não foram suficientes para os britânicos se entenderem sobre a sua própria saída da União Europeia. E ainda não é claro o que vão fazer nos próximos três meses. Para já, segue nova cimeira da EU.

Luke MacGregor/Reuters

Qual é o próximo passo do Reino Unido?

A moção aprovada significa que a Theresa May pedirá agora à União uma prorrogação do artigo 50º até 30 de junho de 2018. Se Bruxelas concordar – como a maioria dos deputados britânicos supõe – o Reino Unido não deixará a União Europeia em 29 de março.

 

A União Europeia vai aceitar?

Tudo indica que sim. É nesse sentido que têm convergido todos os responsáveis da União – Augusto Santos Silva, ministro dos Negócios Estrangeiros português, incluído. Aliás, a União pouco mais pode fazer: sabendo que uma saída dura é o pior para todas as partes, onde se inclui a própria União, aceitar o novo prazo é um favor que faz a si própria.

 

Como formalizará a União esse passo?

Primeiro, May tem de formalizar o pedido. Depois disso, os 27 chefes de Estado e de governo da União terão que decidir por unanimidade numa cimeira a realizar na próxima quinta-feira, 21 de março.

 

Que vai o Reino Unido propor nos próximos meses?

Ninguém sabe. E os mais céticos chegam mesmo ao ponto de dizer que nem o próprio governo britânico sabe. O mais certo é que o Parlamento – que assegurou junto de Theresa May que estará mais próximo das negociações que nos últimos dois anos – insista na cláusula de salvaguarda, o chamado backstop, pedindo que Bruxelas se comprometa com uma solução definitiva o mais depressa possível. De qualquer modo, é preciso não esquecer que a própria Theresa May disse que o país não precisa de mais tempo, mas de união.

 

Esse pedido é certo?

Não – como nada é certo no Brexit. A linha dura dos conservadores consideram que qualquer que seja a solução do problema, isso só fará com que o Reino Unido não saia ‘de facto’ da União. E, por isso, preferem uma saída sem acordo. Theresa May vai ter muito trabalho para convencer os ‘rebeldes’ do seu partido.

Ler mais
Relacionadas

Deputados britânicos aprovam adiamento da saída da União Europeia

No mesmo dia em que foi rejeitado um novo referendo sobre o Brexit, deputados britânicos aceitaram o adiamento da saída do Reino Unido da União Europeia.

Parlamento britânico chumba segundo referendo

É o terceiro chumbo em três dias: deputados britânicos também não querem novo referendo sobre o Brexit.

Brexit: Donald Tusk abre a porta a “longa extensão” se Reino Unido repensar estratégia

A proposta de Donald Tusk acontece a poucos dias da cimeira europeia em Bruxelas, e no dia em que o parlamento britânico vai votar o adiamento da saída do Reino Unido da União Europeia.
Recomendadas

PS: Pedro Marques poupa palavras no metro de Lisboa mas reforça convicção na vitória

No nono dia de campanha do PS, Pedro Marques elegeu os passes sociais para apelar ao voto nas eleições europeias. Entre o desinteresse e a incerteza de quem passava, o ex-ministro promoveu a medida de reduzir o custo dos passes sociais e ouviu queixas. Mas não se alongou muito e optou por fazer a viagem quase sem falar com os passageiros.

Paulo Sande: “Vamos eleger dois eurodeputados do Aliança e será bom para o país ter uma nova atitude na Europa”

O cabeça-de-lista do novo partido Aliança expressa a sua confiança na obtenção de um bom resultado nas eleições europeias, sublinha a importância de “encontrar um equilíbrio” entre o federalismo e o soberanismo, propõe “deputados-sombra” para assegurar um maior escrutínio e quer que todas as normas europeias sejam avaliadas do ponto de vista do impacto ambiental.

Líder Trabalhista diz que não apoiará nova proposta de acordo de May

Theresa May apresentou hoje uma nova proposta para um acordo do ‘Brexit’, que levará ao Parlamento no próximo dia 03 de junho, mas precisa de uma maioria de deputados Conservadores e Trabalhistas para atingir o objetivo. Corbyn recusa “apoiar uma versão reaproveitada do antigo acordo”.
Comentários