Respostas Rápidas: Qual a diferença entre IAD e ITP no seguro de vida?

Se pedir um crédito habitação, ser-lhe-á exigida a contratação de um seguro de vida. Porém, existem dois tipos de seguros de vida: IAD ou ITP. Descubra, neste artigo, qual deve contratar.

Quer se trate de um seguro de vida IAD ou ITP, cabe salientar, desde logo, que a cobertura de morte se encontra pré-definida. O que vai distinguir estes dois produtos serão outras garantias.

 

Seguro de vida IAD (Invalidez Absoluta e Definitiva)

O IAD poderá ser acionado pelo segurado em caso de acidente ou de doença dos quais resultem uma total incapacidade de o consumidor exercer uma atividade remunerada.

O IAD pressupõe que a pessoa incapacitada precisa de uma terceira pessoa para cuidar das suas necessidades básicas (entenda-se comer, vestir-se, locomover-se, realizar a sua higiene pessoal) – estamos, portanto, a falar de um grau de incapacidade que poderá estar acima de 80%.

Neste caso, para que consiga ter direito à indemnização da seguradora é necessário que o seguro esteja em “estado vegetativo”.

A cobertura associada ao IAD é a que normalmente é exigida obrigatoriamente pelos bancos.

 

Seguro de vida ITP (Invalidez Total e Permanente)

Por sua vez, o ITP pode ser acionado a partir de um grau de invalidez de 60% (note que este valor pode oscilar consoante a seguradora), significando que a pessoa sofreu um acidente ou uma doença que a incapacita de exercer uma profissão ou atividade lucrativa, mas não se encontra totalmente inválida, não dependendo de terceiros.

Por exemplo: uma pessoa que, em decorrência de um acidente de trabalho, perca um membro que seja essencial ao desempenho do seu trabalho, pode acionar o seguro e a sua casa fica paga.

As diferenças acima assinaladas permitem concluir que o ITP é mais abrangente do que o IAD, pois obriga a um grau de incapacidade menor para poder ser acionado.

Poderá aprofundar este tema aqui.

Ler mais
Relacionadas

Se ficar desempregado, o seguro paga-lhe o crédito?

Alguma vez se questionou o que é que acontece se tiver um empréstimo por pagar e acabar por ficar desempregado? Se tiver um seguro de desemprego tal poderá não ser uma dor de cabeça. Descubra mais sobre esta proteção neste artigo.

Como baixar o spread do crédito à habitação?

A última retoma do mercado imobiliário trouxe consigo uma “guerra de spreads” entre os bancos, que fez com que o valor desta taxa fosse baixando. Além disso, o spread ainda é uma percentagem que em muito varia consoante o nível de risco de cada cliente e, como tal, pode ser negociável. Descubra, neste artigo, algumas dicas que podem […]

Há 8 cuidados essenciais a ter ao comprar casa: sabe quais são?

Comprar uma casa é uma decisão importante e, por isso, deve ser bem ponderada. Damos-lhe a conhecer oito cuidados a ter na compra de imóveis, para que faça a escolha mais acertada na aquisição da sua nova habitação.
Recomendadas

Parlamento aprova a suspensão das rendas e da caducidade dos contratos de arrendamento

As alterações na legislação sobre habitação autorizam que as famílias podem suspender o pagamento da renda durante o Estado de Emergência se registarem uma quebra superior a 20% dos rendimentos do agregado familiar, face aos rendimentos do mês anterior ou do período homólogo do ano anterior.

Utiliza a aplicação Houseparty? Deco desaconselha

Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor apercebeu-se de que a “partilha de dados pessoais e a segurança pode ser melhorada”. A ‘app’ nega críticas de falta de privacidade e está a oferecer cerca de 900 mil euros a quem souber como começou a “campanha difamatória”.

Desempregado ou em lay-off? Saiba como trabalhar em instituições sociais ou de saúde para ganhar um rendimento extra

Esta medida, voluntária, é uma forma dos desempregados ou dos trabalhadores em regime de lay-off poderem ganhar um rendimento extra reforçando hospitais ou lares. Desempregados com direito a uma bolsa mensal de 438,8 euros, com os trabalhadores em regime de lay-off a terem o direito a 658,2 euros mensais.
Comentários