Rocha Andrade: “O PS não tem o direito para ganhar votos de comprometer o futuro do pais”

O vice-presidente da bancada parlamentar socialista, diz que não há disponibilidade financeira para satisfazer todas as reivindicações em curso nos diferentes sectores.

Cristina Bernardo

Em entrevista à Antena 1 e ao Jornal de Negócios, Fernando Rocha Andrade, antigo secretário de Estado dos Assuntos fiscais e atual vice-presidente da bancada parlamentar do PS, considerou que seria pior para o país se o governo cedesse a reivindicações sectoriais de uma forma que não fosse sustentável, ou seja, sem ter capacidade de pagar. Os portugueses, segundo Rocha Andrade, “não perdoariam ao PS que tomasse decisões irresponsáveis” e acrescenta: “O PS não tem o direito para ganhar votos de comprometer o futuro do pais”.

Por outro lado, apesar de reconhecer que há uma grande carga fiscal na sociedade portuguesa, considera que não há lugar para redução de impostos sem redução da divida, ao mesmo ritmo. Essa deve ser a prioridade diz Rocha Andrade.

Nesta entrevista, Rocha Andrade adianta ainda que não espera outra coisa que não seja o que foi prometido em matéria de escalões de IRS, ou seja, nas tabelas de 2019 serão introduzidas as alterações que reflitam totalmente as alterações feitas ao imposto

Já quanto ao IVA Rocha Andrade defende que se caminhe para uma taxa única que pode ser de 18%.

Recomendadas

PSD quer reuniões quinzenais sobre situação epidemiológica no país

A bancada liderada por Rui Rio, que também é o presidente do partido, sublinha que é necessário “adotar, na nova fase que se avizinha, um novo modelo” que dê privilégio à “função parlamentar na defesa da saúde pública”.

Parlamento “chumba” candidatos a quatro órgãos, incluindo fiscais das “secretas”

O parlamento chumbou esta sexta-feira os candidatos ao Conselho Superior de Defesa Nacional, Conselhos de Fiscalização do SIRP e do Sistema Integrado de Informação Criminal e Conselho Superior de Informações.

Eurodeputados pedem inquérito da Autoridade Bancária Europeia ao ‘Luanda Leaks’

Os parlamentares instam também as autoridades nacionais a iniciarem as investigações sobre as revelações do caso ‘Luanda Leaks’ e a intentarem ações contra as partes interessadas que violem as normas em matéria de luta contra o branqueamento de capitais.
Comentários