Rocha Andrade: “O PS não tem o direito para ganhar votos de comprometer o futuro do pais”

O vice-presidente da bancada parlamentar socialista, diz que não há disponibilidade financeira para satisfazer todas as reivindicações em curso nos diferentes sectores.

Cristina Bernardo

Em entrevista à Antena 1 e ao Jornal de Negócios, Fernando Rocha Andrade, antigo secretário de Estado dos Assuntos fiscais e atual vice-presidente da bancada parlamentar do PS, considerou que seria pior para o país se o governo cedesse a reivindicações sectoriais de uma forma que não fosse sustentável, ou seja, sem ter capacidade de pagar. Os portugueses, segundo Rocha Andrade, “não perdoariam ao PS que tomasse decisões irresponsáveis” e acrescenta: “O PS não tem o direito para ganhar votos de comprometer o futuro do pais”.

Por outro lado, apesar de reconhecer que há uma grande carga fiscal na sociedade portuguesa, considera que não há lugar para redução de impostos sem redução da divida, ao mesmo ritmo. Essa deve ser a prioridade diz Rocha Andrade.

Nesta entrevista, Rocha Andrade adianta ainda que não espera outra coisa que não seja o que foi prometido em matéria de escalões de IRS, ou seja, nas tabelas de 2019 serão introduzidas as alterações que reflitam totalmente as alterações feitas ao imposto

Já quanto ao IVA Rocha Andrade defende que se caminhe para uma taxa única que pode ser de 18%.

Recomendadas

Marques Mendes diz que a retirada de comendas a Berardo abre um precedente para outros, como Sócrates

Marques Mendes apresentou ainda um cálculo dos impostos pagos pelos vários países da União Europeia. Ora Portugal paga 22% acima da média europeia e está em sexto lugar nos países com maior esforço fiscal. “Com o nosso nível de vida devíamos pagar menos impostos”, disse.

Europeias: Pedro Marques diz que PS terá eurodeputado dos Açores e isso “faz a diferença”

Para Pedro Marques, é “muito difícil de explicar” a posição do PSD, mas o PS, por Bradford, um “profundo conhecedor da região”, “tem em conta as regiões ultraperiféricas” e os Açores em concreto.

Marisa Matias diz que Bruxelas “está a preparar um assalto às pensões”

A eurodeputada acusa Bruxelas qde querer reduzir a Segurança Social “a um sistema de esmolas para pobres, empurrando quem pode para produtos privados e quem não pode para a miséria”.
Comentários