Rui Rio considera ser “muito injusto” que “todos os portugueses” paguem redução dos passes em Lisboa

“Não concordo que todos os portugueses, incluindo os que vivem nos territórios mais pobres, paguem com os seus impostos a redução do preço dos passes em Lisboa”, sublinhou o líder do PSD, em mensagem publicada no Twitter. “Assim não. É muito injusto”.

O presidente do PSD, Rui Rio, não concorda com a redução do preço dos passes em Lisboa através dos impostos pagos por “todos os portugueses, incluindo os que vivem nos territórios mais pobres”. E expressou a sua discordância através de uma mensagem publicada hoje na rede social Twitter.

“Não concordo que todos os portugueses, incluindo os que vivem nos territórios mais pobres, paguem com os seus impostos a redução do preço dos passes em Lisboa. Essa opção deve ser da responsabilidade das câmaras municipais e não do Orçamento do Estado. Assim não. É muito injusto”, escreveu Rio.

A mensagem de Rio foi publicada no mesmo dia em que se realizou a cerimónia pública de assinatura dos contratos para os novos tarifários de transportes na Área Metropolitana de Lisboa (AML), em que se inclui a criação do passe único nos respetivos 18 concelhos.

À margem da cerimónia, o presidente da AML, Fernando Medina, informou que o passe “Navegante Família” só vai estar disponível em julho. “Teremos o passe família a partir de julho. Por questões técnicas necessita de ser operacionalizado para ser simples e ser desburocratizado, e permitirá que, num agregado, se pague no máximo dois títulos de transporte para todas as pessoas desse agregado que o queiram utilizar”, disse Medina.

O passe único substituirá as centenas de títulos combinados que existem atualmente para a utilização dos transportes coletivos e vai ter apenas duas configurações: o “Navegante Municipa” custará 30 euros, permitindo viagens dentro de cada concelho, e o “Navegante Metropolitano” custará 40 euros, permitindo deslocações nos meios de transporte públicos em toda a AML.

 

Ler mais
Relacionadas

Costa: Redução de preços dos passes vai beneficiar 85% dos portugueses

Primeiro-ministro destacou que esta redução tem impacto do ponto de vista ambiental, mas também na disponibilidade do rendimento mensal dos portugueses.

Passe máximo de 40 euros arranca em abril: Conheça os novos passes da Grande Lisboa

Os habitantes dos 18 municípios da Grande Lisboa vão poder deslocar-se mensalmente na área metropolitana da capital por um valor máximo de 40 euros, a partir de 1 de abril. Os novos passes low cost começam a estar à venda a 26 de março.

Governo e municípios da Área Metropolitana de Lisboa assinam acordos para passe único

O Governo e os presidentes dos municípios da Área Metropolitana de Lisboa assinam esta segunda-feira os contratos para a entrada em vigor, em abril, de um passe único nestes 18 concelhos.
Recomendadas

Presidente do Supremo Tribunal pode receber mais 600 euros mensais do que o primeiro-ministro

Os salários dos magistrados têm um limite salarial máximo que os impede de ganhar mais do que o primeiro-ministro, mas, caso a revisão do estatuto proposta pelo PS venha a ser aprovada, termina este impedimento salarial.

Parlamento vota hoje projetos de resolução sobre Programa de Estabilidade

No debate do Programa de Estabilidade, na quarta-feira, os partidos de esquerda criticaram duramente o plano orçamental para o período 2019-2023, mas é esperado que ajudem a chumbar a rejeição do PSD e CDS aos programas.

Joana e Mariana Mortágua: “Leva o Bolsonaro para ao pé do Salazar”

“Ó meu rico Santo António, ó meu santo popular, leva lá o Bolsonaro, leva lá o Bolsonaro para ao pé do Salazar”. É assim a letra da música, que envolve o presidente do Brasil, cantada pelas deputadas do Bloco de Esquerda durante uma marcha do 25 de abril. A música foi cantada na presença de Catarina Martins, de Marisa Matias e de um deputado francês. O ditador António de Oliveira Salazar morreu em 1970.
Comentários