Rui Rio sobre ausências do secretário-geral: “Caso não é agradável mas mantenho a confiança política”

“O deputado José Silvano já me explicou o que se passou e vai fazer hoje ainda, penso eu, um direito de resposta ao jornal no sentido de que seja reposta a verdade daquilo que aconteceu”, explicou o líder do PSD a propósito do secretário-geral do partido.

O presidente do PSD, Rui Rio, manteve hoje a confiança política no secretário-geral do partido, José Silvano, depois da notícia de que este assinou presenças em sessões plenárias do parlamento em que esteve ausente.

“Claro que mantenho a confiança política. O caso não é agradável, como é evidente, não é um caso positivo, mas acha que ter uma proposta para o país, discutir o país, debater o país pode ser anulado pelas pequenas questiúnculas que estão constantemente a surgir neste partido e nos outros partidos. Não pode ser, temos de estar um bocadinho acima disso”, acentuou.

O líder do maior partido da oposição, que falava à margem de uma reunião com a Confederação Nacional das Cooperativas Agrícolas de Portugal (Confagri), no Porto, esclareceu que o secretário-geral do PSD já lhe explicou o que se passou e que este deverá ainda hoje “repor a verdade”.

“O deputado José Silvano já me explicou o que se passou e vai fazer hoje ainda, penso eu, um direito de resposta ao jornal no sentido de que seja reposta a verdade daquilo que aconteceu. A ele lhe compete fazer isso como deputado, eu nem sequer deputado sou e, portanto, verão a explicação que ele vai dar”, afirmou.

Citando o registo oficial das sessões plenárias da Assembleia da República, o jornal Expresso de sábado noticiou que José Silvano não faltou a qualquer das 13 reuniões plenárias realizadas no mês de outubro, apesar de em pelo menos um dos dias ter estado ausente.

Uma informação falsa, conforme o próprio admitiu ao Expresso. Na tarde de 18 de outubro, o dirigente do PSD andou pelo distrito de Vila Real ao lado de Rui Rio, cumprindo um programa de reuniões que teve início às 15h30. Apesar disso, nessa quinta-feira, alguém registou a presença do secretário-geral social-democrata logo no início da sessão plenária, quando passavam poucos minutos das três da tarde.

José Silvano assumiu o cargo de secretário-geral do PSD em março deste ano após a demissão de Feliciano Barreiras Duarte na sequência de notícias sobre irregularidades no percurso académico e com a morada para efeitos de cálculo de abonos das deslocações como deputado.

Ler mais
Recomendadas

António Costa acha que OIT foi “decisiva” para abandonar “projeto incoerente de austeridade expansionista”

O primeiro-ministro português defendeu esta quarta-feira, na 108º reunião da Organização Internacional do Trabalho, a estratégia do seu Governo para contrariar a “austeridade expansionista” dos tempos de crise tendo como base os dados fornecidos por esta instituição.

Rui Rio considera que há margem para acordo com PS na Lei de Bases da Saúde

O presidente do PSD considerou esta quarta-feira haver margem para um acordo com o PS para uma nova Lei de Bases da Saúde, estando os sociais-democratas a identificar as propostas que considera essenciais, nas quais inclui as PPP.

Ensino superior 2019-2020. Cursos procurados por alunos de excelência podem aumentar vagas

O despacho do ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, que fixa as regras do Concurso Nacional de Acesso, seguiu já para publicação em Diário da República, o que deverá acontecer nas próximas horas.
Comentários