Rússia nega associação a níveis incomuns de radiação registados no norte da Europa

“Não existiram reclamações sobre o funcionamento do equipamento”, garantiu o porta-voz operadora russa de energia nuclear, Rosenergoatom

A Rússia negou estar associada aos níveis incomuns de radiação registados na região norte da Europa, em junho, segundo a Business Insider.

Duas centrais nucleares, no oeste da Rússia, Leningrado e Kola, estão “a trabalhar normalmente”, garantiu o porta voz da operadora russa de energia nuclear, Rosenergoatom, à agência de notícias estatal russa TASS. “Não existiram reclamações sobre o funcionamento do equipamento. Os níveis de radiação em ambas as centrais nucleares e áreas adjacentes permaneceram inalterados em junho”, assegurou o representante de Rosenergoatom.

Na semana passada, a Finlândia, Suécia e Noruega relataram níveis elevados dos radioisótopos Ru-103, Cs-134 e Cs-137 em junho, segundo a Associated Press (AP). Embora a Rússia não tenha sido acusada diretamente, o Instituto Nacional de Saúde Pública e Meio Ambiente (RIVM) holandês revelou que os dados registados indicam que a radiação vem “do oeste da Rússia”.

A Agência Internacional de Energia Atómica disse estar a par desta situação e prometeu entrar em contacto com a Rússia para esclarecer a situação.

 

Relacionadas

Trump nega ter sido informado sobre prémios russos aos talibãs para atacar tropas

O Presidente norte-americano, Donald Trump, negou hoje ter sido informado pelos serviços de informações sobre alegados prémios prometidos pela Rússia aos talibãs para matarem tropas dos Estados Unidos no Afeganistão e desvalorizou as alegações contra Moscovo.

UE reabre fronteiras a 1 de julho a cidadãos de apenas 15 países. EUA e Brasil excluídos

A lista é susceptível de ser modificada, tendo por base critérios epidemiológicos. No caso da China, o levantamento do veto de entrada está sujeito a reciprocidade.

António Guterres nega que OMS tenha tentado ajudar a China a “esconder a realidade”

O secretário-geral das Nações Unidas refere estar convencido de que, em algum momento, terá de se investigar a origem da pandemia, a forma como se espalhou tão rapidamente e como a Organização Mundial de Saúde, os países e outras entidades responderam.
Recomendadas

É oficial: Donald Trump retira Estados Unidos da OMS

“O Congresso recebeu a notificação de que o Presidente retirou oficialmente os Estados Unidos da OMS em plena pandemia”, escreveu no Twitter o senador democrata Robert Menendez. Washington e ONU já confirmaram.

“Gripezinha ou resfriadinho”. Imprensa brasileira relembra declarações de Bolsonaro sobre a Covid-19

Presidente sempre desvalorizou doença, comparando-a a uma “gripezinha” ou “resfriadinho” e promovendo o uso de hidroxicloroquina, que afirma já ter tomado. Reações das redes sociais também merecem destaque na imprensa.

Comprar uma marca de sapatos. Warren Buffett elege “erro mais terrível”

Embora Warren Buffett estivesse errado sobre as perspetivas da Dexter, reconheceu a ameaça que logo afundaria a empresa: os sapatos importados e baratos, vindos de países com baixos salários.
Comentários