PremiumRuth Bader Ginsburg: A resistente e combativa liberal do Supremo

Aos 87 anos, a juíza do Supremo Tribunal dos EUA foi hospitalizada pela segunda vez este ano, primeiro para tratar um teimoso (terceiro) cancro e agora para uma pequena cirurgia. Com os liberais em minoria no tribunal (4-5), e em ano de eleições, Ginsburg recusa-se a deixar o cargo enquanto estiver apta. E, por ora, ainda está, garante.

“The Notorious R.B.G”. O título de um livro sobre Ruth Bader Ginsburg é um jogo de palavras com “The Notorious B.I.G”, o nome artístico de um influente e irrequieto rapper americano que morreu assassinado em 1997. O livro é um dos muitos que descreve a juíza do Supremo Tribunal dos Estados Unidos como uma liberal que defende os seus pontos de vista sem rodeios e que está de pedra e cal no cargo, resistindo a manobras políticas para a tentar convencer a renunciar e também a problemas de saúde, graves e menos sérios.

Aos 87 anos, Bader Ginsburg está internada num hospital de Nova Iorque, tendo sido submetida a uma operação não-cirúrgica e não-invasiva ao ducto biliar. A juíza está, segundo os médicos, “a repousar de forma confortável” e deverá ter alta ainda esta semana. É a segunda hospitalização este ano, depois de em maio ter recebido tratamento contra um cancro do pâncreas, ao qual já tinha sido operada em 2009. Antes disso, Bader Ginsburg já tinha superado, também através de cirurgia, um cancro no cólon, em 1999, e num pulmão, em 2018.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

PremiumRestauração: ‘Chefs’ contra a pandemia

Apesar da crise provocada pela Covid-19 e das incertezas sobre o futuro, o setor da restauração de autor está a viver um momento dinâmico, em Lisboa, Porto e no interior. Inaugurações, reaberturas, novas cartas, novas parcerias, novos serviços são os trunfos para angariar mais clientes. Na maioria nacionais, porque ainda há muitos aviões em terra e muitos turistas em casa.

PremiumUm quinto dos cargos de administração nas cotadas são em acumulação

28 administradores acumulam cargos em várias empresas cotadas na bolsa de Lisboa. A acumulação é permitida pelas regras de mercado e aponta para a transversalidade de alguns grupos económicos em Portugal, que são acionistas em várias empresas. Associação de pequenos acionistas defende que administradores executivos não devem acumular cargos fora do seu grupo empresarial.

PremiumFC Porto campeão: 22 dias que mudaram a história da Liga

A 25 de janeiro, tudo parecia perdido para o FC Porto, com o ‘murro na mesa’ de Sérgio Conceição a expor problemas internos. Vinte e dois dias bastaram para alterar tudo, após o ‘basta’ de Marega ao ouvir insultos racistas em Guimarães marcar a união do plantel que levou à conquista do 29.º título de campeão nacional de futebol.
Comentários