Santa Casa e Banco Montepio vão investir 1,350 milhões de euros em projetos de inovação social

Enquadrado no programa Portugal Inovação social, que pretende promover e dinamizar o mercado de inovação social em Portugal, os Projetos de Impacto contemplam dois tipos de apoio: Títulos de Impacto Social e Parcerias para o Impacto. No total, serão disponibilizados um milhão e 350 mil euros aos projetos aprovados.

Cristina Bernardo

Projetos de Impacto é o nome da nova iniciativa da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa (SCML) e do Banco Montepio, que prevê investir um milhão e 350 mil euros em “propostas inovadoras que respondam a alguns dos principais desafios da sociedade”, avança a Santa Casa em comunicado.

Este é um esforço de investimento conjunto entre a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, enquanto investidor social de natureza pública, e o Banco Montepio, enquanto investidor social privado.

Financiar e potenciar projetos inovadores nas áreas da proteção social, emprego, saúde, justiça, educação e inclusão social, assim como estimular  o investimento social, são os objetivos da iniciativa Projetos de Impacto.

Enquadrado no programa Portugal Inovação social, que visa promover e dinamizar o mercado de inovação social em Portugal, os Projetos de Impacto contemplam dois tipos de apoio: Títulos de Impacto Social e Parcerias para o Impacto.

No que toca às Parcerias para o Impacto estas têm como objetivo financiar a criação, desenvolvimento ou crescimento de projetos de inovação social, em formato de cofinanciamento com investidores sociais, estimulando a filantropia e o investimento social de impacto e contribuindo para um modelo de financiamento mais estável, eficaz e duradouro”, avança a Santa Casa. As candidaturas arrancam hoje no site da Santa Casa e terminam a 11 de novembro.

Já no que se refere ao instrumento de financiamento “Títulos de Impacto Social” – que tem como objetivo financiar, através de um mecanismo de contratualização e pagamento por resultados, projetos inovadores em áreas prioritárias de política pública, nos domínios do emprego, proteção social, educação, saúde, justiça e inclusão digital – as candidaturas decorrem de 21 de novembro a 5 de dezembro, no site da Santa Casa.

No comunicado, Edmundo Martinho, Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, refere que “os Projetos de Impacto são uma iniciativa muito importante, que vem reforçar a estratégia da Santa Casa no reforço do setor da inovação e da economia social em Portugal, contribuindo para o desenvolvimento de paradigmas inovadores, que possam dar resposta aos novos desafios que estes tempos contemporâneos impõem às nossas comunidades. Fiel à sua missão e história, a Misericórdia de Lisboa corporiza nesta iniciativa a sua capacidade de adaptação a cada época e a cada conjuntura social”.

“O Banco Montepio sempre teve como pilar estratégico a afirmação na economia social, as necessidades financeiras das instituições e a consolidação do impacto que estas deixam na sociedade. Assim, o Banco Montepio assume-se desde sempre como um potencial investidor social. Esta iniciativa irá permitir apoiar projetos com impacto na sociedade em cada uma das áreas definidas, estimulando o crescimento, a sustentabilidade e a inovação na economia social”, defendeu, por sua vez, Dulce Mota, CEO do Banco Montepio.

Esta iniciativa permitirá posicionar estas duas entidades como os maiores investidores sociais do país, defendem as instituições.

Ler mais
Recomendadas

Margarida Corrêa de Aguiar: “Os PPR Pan-Europeus serão o novo produto de poupança”

“A menor generosidade dos incentivos, a queda da taxa de poupança e a ausência de oferta estruturada de poupança” explica a reduzida penetração de produtos de seguros nas poupanças das famílias, explicou a presidente da Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões.

Fitch: Economia adversa e taxas de juro baixas pressionam os bancos da Europa Ocidental

A maioria dos ratings dos bancos da Europa Ocidental está no ‘Stable Outlook’, e a evolução para “perspetivas negativas” reflete principalmente um maior risco para os ratings devido à pressão sobre os resultados ou modelos de negócios.

Moody’s altera perspetiva dos ratings da banca para negativa e alerta para novos riscos

A perspectiva da Moody’s para os bancos globais em 2020 é negativa. “A desaceleração do crescimento económico, baixas taxas de juros e condições operacionais mais voláteis aumentarão os desafios para os bancos”, diz a agência de rating que alerta para riscos de nova escalada de liquidações de bancos.
Comentários