PremiumSantander Portugal vende quatro parques solares do Glennmont Partners em Portugal

Propostas não vinculativas para quatro parques solares localizados em Portugal serão recebidas pelo Santander Portugal nesta segunda-feira.

O Santander Portugal foi o banco escolhido pela gestora europeia de fundos de infraestruturas Glennmont Partners para vender quatro parques solares portugueses. Em causa estão o Portuguese Solar PV1, o Portuguese Solar PV2, o Portuguese Solar PV3 e ainda um outro parque que estava no portfólio do primeiro fundo (Glennmont Clean Energy Fund Europe I) e que foi anexado ao pacote de ativos que a sociedade pôs agora à venda.

As propostas não vinculativas para a compra dos parques solares portugueses serão recebidas pelo Santander Portugal na próxima segunda-feira, apurou o Jornal Económico.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Mutualista diz que fusão do Montepio com BCP colide com os interesses dos associados

“O Banco Montepio dispõe de soluções de capital ajustadas às suas necessidades e encontrará o seu próprio caminho de estabilização”, garante a instituição liderada por Virgílio Lima. “Uma fusão desta natureza corresponderia à sua descaracterização, algo que colide com os interesses da Associação e dos associados”, defendem.

Tribunal espanhol adia audições dos responsáveis do CaixaBank sobre compra do BPI

Segundo a agência Efe, problemas técnicos impediram a audição telemática do presidente da Criteria e ex-presidente do CaixaBank. O julgamento que está em curso desde 2018 decorre de uma queixa de acionistas minoritários que se sentiram lesados com algumas operações inerentes à compra do BPI em 2017.

Miguel Maya: Financiamento do Fundo de Resolução tem de ser analisado com cuidado e rigor

Miguel Maya transmitiu esta posição à margem da V Cimeira do Turismo Português, que está hoje a decorrer em Lisboa, depois de ter sido questionado sobre a possibilidade de virem a ser encontradas fontes de financiamento alternativas ao Fundo de resolução sem ser através de empréstimos públicos.
Comentários