Santo Antão ganha mais um centro de turismo

A ilha cabo-verdiana terá um novo espaço de interpretação turística na Ribeira das Patas ainda este ano.

A ilha de Santo Antão, em Cabo Verde, vai ganhar um quarto centro de turismo e de interpretação turística que se localizará em Ribeira das Patas, no município do Porto Novo.

O centro de Ribeira das Patas junta-se a outros três, abertos ao longo de 2019, em toda a ilha, e faz parte dos investimentos turísticos previstos para o município do Porto Novo, em 2020, à volta de 32 mil contos.

O projeto de criação do centro de turismo e de interpretação turística da Ribeira das Patas, localidade que está a apostar no turismo rural com a construção de algumas unidades turísticas, está estimado em mais de três mil contos, montante cofinanciado pela câmara do Porto Novo e pelo Governo de Cabo Verde.

Santo Antão dispõe de três infraestruturas do tipo, situadas nas cidades do Porto Novo, Pombas e Ribeira Grande, criadas no quadro do projeto Raízes (Redes locais para o turismo sustentável e inclusivo), nesta ilha.

Esta ilha, pelos projetos que estão sendo implementados e em carteira, configura-se já como “ilha piloto” em termos de boas práticas em matéria de turismo sustentável neste arquipélago africano.

Recomendadas

Banco de Cabo Verde prevê vender sede e edifícios por mais de 3,2 milhões de euros

A administração do Banco de Cabo Verde (BCV) esclareceu esta segunda-feira que a venda da atual sede e mais dois edifícios na Praia será feita por mais de 3,2 milhões de euros, conforme avaliação de peritos aos imóveis.

Cabo Verde Airlines em risco de desaparecer

O vice-primeiro-ministro cabo-verdiano, Olavo Correia, afirmou que, sem a intervenção do Estado, a Cabo Verde Airlines (CVA) “desaparecerá”.

Paulo Macedo diz que fecha venda do banco em Cabo Verde em breve e adia ‘sine die’ venda no Brasil

Esta venda da participação social no Banco Comercial do Atlântico estava prevista no plano estratégico da CGD para 2017-2020 negociado com a DGComp de Bruxelas. Já o banco do Brasil não vai ser vendido dentro do prazo estabelecido no acordo com a Comissão Europeia.
Comentários