Oficial: Sauditas mantêm corte diário de 1 milhão de barris de crude em abril, Rússia pode aumentar 130 mil

As decisões sobre os níveis de produção para abril foram tomadas numa reunião virtual da OPEP+ esta quinta-feira onde se confirmou a intenção saudita de manter os cortes na produção, permitindo apenas alguns ajustes para fazer face à procura interna russa e cazaque. Os preços do barril de crude e Brent vão aproveitando as boas notícias e sobem mais de 5%.

A Arábia Saudita vai manter em abril o corte voluntário de um milhão de barris de petróleo por dia, mas a Rússia vai poder aumentar a produção em 130 mil barris diários, segundo as decisões tomadas na reunião da OPEP+ esta quinta-feira.

“Os ministros elogiaram a Arábia Saudita pela extensão do adicional ajustes voluntários de um milhão de barris para o mês de abril de 2021, exemplificando a sua liderança e demonstrando a abordagem flexível e preventiva”, disse em comunicado a Organização do Países Exportadores de Petróleo (OPEP), que com outros produtores liderados pela Rússia formam a OPEP+.

“Os ministros aprovaram a continuidade dos níveis de produção de março para o mês de abril, com exceção da Rússia e do Cazaquistão, que poderão aumentar produção de 130 e 20 mil barris por dia, respetivamente, devido à continuação padrões de consumo sazonal”, acrescentou.

A organização volta assim a dar mais margem aos russos para aumentarem a sua produção, depois de estes não o terem conseguido fazer em fevereiro, apesar de estarem autorizados a isso, devido às condições climatéricas que, simultaneamente, aumentaram a procura interna por energia.

As cotações do ouro negro dispararam com o anúncio, dando continuidade aos ganhos que vinham registado na sessão desta quinta-feira depois dos alertas do ministro saudita para que a organização não arriscasse deitar por terra os ganhos conseguidos com os cortes de produção dos últimos meses. A organização salienta que os 103% de conformidade dos países-membros com a estratégia delineada reforça o sinal de união dentro da OPEP+.

“A incerteza em torno do ritmo da recuperação não recuou”, afirmou o ministro saudita Abdulaziz bin Salman, reiterando os seus apelos para que os países do cartel mantenham a “cautela e vigilância”.

O barril de Brent vai subindo 5,40% até aos 67,53 dólares (56,24 euros), enquanto que o de crude WTI, a referência no mercado norte-americano, vai ganhando 5,35% até aos 64,56 dólares (53,77 euros).

[notícia atualizada às 17h52]

Ler mais

Recomendadas

Lucro da Galp terá disparado 62% no primeiro trimestre com subida do preço do petróleo

A subida para 47 milhões de euros terá sido impulsionada pela unidade exploração e produção de petróleo e gás natural, que segundo o consenso das estimativas de 23 analistas divulgado pela empresa terá registado um aumento homólogo de 46,5% no EBITDA – resultado antes de juros, impostos, depreciação e amortização – para 419 milhões de euros.

Goldenergy é o comercializador que captou mais clientes que mudaram de fornecedor de electricidade em fevereiro

A ERSE divulgou hoje a síntese mensal sobre o mercado liberalizado de eletricidade, referente ao mês de fevereiro. Os dados publicados revelam que a Goldenergy reforçou a sua posição de quinto maior comercializador de eletricidade em Portugal, em número de clientes de 2,9%, um aumento de 0,1 pp em relação ao mês de janeiro.

Sindicatos reforçam o apelo à greve na EDP. Consideram aumentos salariais de 0,5% “uma miséria”

A federação intersindical reforçou apelo à greve na EDP nesta terça-feira, 20 de abril. Iniciativa surge depois de elétrica ter proposto um aumento salarial de 0,5%, que os sindicatos do setor consideram ser insuficiente. Fiequimetal reclama aumento salarial “digno” de 90 euros por mês, que sinaliza representar apenas 1% dos lucros de 2020.
Comentários