Sea View Residence na Ericeira para amantes do mar

O JPS Group aposta agora na Ericeira, com o lançamento do Sea View Residence e para quem ama uma vista sobre o mar.

São 10 apartamentos, de tipologias T1 a T3, em condomínio fechado, situados na Ericeira, uma típica vila portuguesa,  junto à Praia do Sul. O Sea View Residence dispõe ainda de um jardim comum composto por um piscina familiar, uma piscina infantil, um barbecue e um parque com escorrega e baloiços. Um espaço exterior igualmente provido de percursos pedonais ideais para passeios ao fim do dia.

João Sousa, CEOdo JPS Group, revela ao “Diário Imobiliário” que mais uma vez o grupo está atento às necessidades de mercado e das famílias portuguesas. “Tendo a Ericeira um potencial incrível, pela beleza natural, boa gastronomia, boas praias, não tem muita oferta habitacional de luxo acessível às famílias portuguesas. A Ericeira fica a cerca de 20 minutos de Lisboa, coericeira excelentes acessos, e muito menos trânsito do que as praias da linha de Cascais. É um sítio fantástico para se viver”, explica.

Quanto a preços, o CEO revela que no lançamento o Sea View Residence apresenta preços a partir de 170.000 euros. Serão 10 unidades de T1 a T3 com preços por m2 a partir de 2000 euros.

“O Sea View Residence é um pequeno projeto giríssimo e apaixonante. Foge aos nossos padrões habituais em numero de unidades, mas vai ser um pequeno condomínio fechado, com piscina, com uma incrível vista mar de todos os apartamentos, e a menos de 100 metros de uma das mais bonitas praias da Ericeira, a praia do Sul”, salienta João Sousa.

Recomendadas

Arrendamento de quartos diminui 22% em setembro face a 2020

Em sentido contrário, Abrantes, Montijo e Viana do Castelo viram um disparo na procura por quartos face a 2020, tendo aumentado até 468%.

Avaliação das casas permaneceu nos 1.221 euros\m2 em agosto

O maior aumento face ao mês de julho registou-se na Região Autónoma da Madeira (3,2%), com a zona Centro a apresentar a descida mais acentuada (-0,8%).

Luís Tavares Bravo: “Evergrande? Tem que se colocar em perspetiva o que é o perigo de contágio na China e a nível global”

É o segundo maior grupo imobiliário na China em termos de vendas, num país em que este setor tem um peso de 18% no PIB. Com dívidas superiores a 300 mil milhões de euros, que efeitos na economia poderá ter a eventual queda da Evergrande? Luís Tavares Bravo, economista e diretor de investment advisory do Bison Bank, analisa as prováveis consequências desta queda nesta “Fast Talk” da JE TV.
Comentários