“Sérias e repetidas falhas”. Deloitte multada com valor recorde no Reino Unido

A consultora foi condenada pela auditoria com falhas que fez de uma empresa de software britânica, onde demonstrações financeiras inflacionaram erradamente o valor da mesma.

A Deloitte foi punida com uma multa recorde pelas “sérias e repetidas falhas” na auditoria à empresa de software Autonomy, reporta a Reuters. A multa de 15 milhões de libras (16,4 milhões de euros) foi decretada esta quinta-feira pelo Conselho de Reporte Financeiro do Reino Unido.

Em causa estavam as demonstrações financeiras da Autonomy em 2009 e 2010, antes de ser comprada pela Hewlett Packard (HP) em 2011. Depois desta aquisição, que se fez por 11 mil milhões de dólares (9,3 mil milhões de euros), a HP viria a reduzir o valor da empresa em três quartos, alegando ter sido defraudada nas finanças da Autonomy.

O regulador britânico veio agora dar razão à queixa da HP, tendo também sancionados dois dos sócios da Deloitte envolvidos na auditoria. A empresa e os colaboradores defendem-se dizendo que as suas práticas “evoluíram significativamente desde que esta auditoria foi realizada há mais de uma década”, cita a Reuters.

A decisão surge depois de um demorado processo, incluindo um recurso posto pela consultora para os tribunais em julho.

Recomendadas
Advogados Cms

PremiumAdvogados da CMS RPA propõem comissão para fundos europeus

Advogados da CMS Rui Pena & Arnaut apresentam propostas para melhorar o sistema judicial e para fiscalizar a aplicação dos fundos de Bruxelas que o país vai começar a receber em 2021.

PremiumMazars faz ‘rebranding’ em ano de 75º aniversário

Novo logótipo é composto por “uma única palavra, confiante e discreta, livre de símbolos e slogans”, refletindo a “originalidade da Mazars”, refere a firma de auditoria, fiscalidade e consultoria.

Solicitadores vão poder escolher regime de previdência

CPAS pode perder os cerca de cinco mil inscritos assegurados por solicitadores e agentes de execução, refere a Ordem dos Solicitadores e dos Agentes de Execução.
Comentários