Siga estas dicas para ser mais sustentável na gestão do seu vestuário

Num relatório realizado em 2017 pela Fundação Ellen MacArthur afirma-se que a produção de roupas nos últimos 15 anos duplicou. Estima-se ainda que 40% da roupa presente no armário dos consumidores não é utilizada.

Cada vez mais se apela aos consumidores a adoção de atitudes conscientes e responsáveis em relação ao meio ambiente. Questões relativas ao vestuário não podem ser exceção!

Sabia que, em média, cada cidadão europeu representa uma pegada ecológica em relação à roupa de 654kg? Todas as decisões tomadas pelos consumidores têm efeitos significativos para o meio ambiente. Todos os consumos são provenientes de recursos do planeta, sejam eles naturais ou não, e o planeta deve ser visto como um empréstimo, temos de o preservar de modo a garantir uma boa qualidade de vida às gerações futuras.

Os consumidores devem interiorizar que a produção e distribuição do sector têxtil também representa um peso significativo para o meio ambiente, merecendo portanto a nossa especial atenção.

Se é um consumidor que compra muita roupa, deixamos-lhe algumas dicas para ser mais sustentável!

  • Utilize por mais tempo a roupa adquirida – Já passou de moda? Dê asas à sua imaginação e crie novos efeitos e cortes que podem modificar as peças em bom estado.
  • Escolha peças mais duradouras e que não passem tanto de moda.
  • A roupa já danificada – utilize-a para outras finalidades. Quem não precisa de panos de limpeza? Ou um bom tapete? E umas calças de ganga que se transformam em bolsas?
  • Roupa que já não serve ou que simplesmente não é utilizada – já pensou em doar? Para além de estar a contribuir para o meio ambiente, estará também a ajudar outra pessoa!
  • Sabia que já existem muitos contentores espalhados pela região que visam recolher têxteis?! Como em lojas e, por vezes, em postos de abastecimento. É apenas uma questão de estar atento.

Num relatório realizado em 2017 pela Fundação Ellen MacArthur afirma-se que a produção de roupas nos últimos 15 anos duplicou. Estima-se ainda que 40% da roupa presente no armário dos consumidores não é utilizada.

Esta situação justifica-se, em certa parte, pela mudança nos hábitos de compra dos consumidores e a rápida rotação das coleções de roupa, considerável para aumentar a produção e significativamente a poluição ambiental.

Quando se fala em produção de vestuário, temos de ponderar diversos momentos. Não se trata apenas da parte da elaboração do vestuário, mas também de todo o encaminhamento para chegar à loja e, mais precisamente, ao consumidor. Isto é, implica gastos desafiantes para o meio ambiente na hora de produzir e na hora de transportar/distribuição para chegar até si.

Sabia que a roupa que utilizamos e descartamos é considerada a 4ª causa de maior desgaste poluente para o meio ambiente?

O mundo depende da escolha de cada consumidor. Seja mais sustentável!

Conte com o apoio da DECO MADEIRA através do número de telefone 968 800 489/291 146 520, do endereço eletrónico deco.madeira@deco.pt. Pode também marcar atendimento via Skype. Siga-nos nas redes sociais Facebook, Twitter, Instagram, Linkedin, Youtube e no nosso site DECO!

Recomendadas

Quer ser reembolsado pelos pagamentos que faz com o telemóvel? Há uma fintech que dá 10%

A aplicação financeira Lydia está a oferecer ‘cashback’ em todas as compras durante o mês de junho para impulsionar os pagamentos digitais em Portugal.

Já pode investir na criptomoeda Dogecoin com a aplicação da Revolut

A fintech britânica tem 30 criptomoedas disponíveis para investimento. Curiosamente, a cara que está nesta moeda virtual – ou seja, o focinho de cão – foi esta sexta-feira vendida como NFT por 4 milhões de dólares.

Como escolher oportunidades de investimento imobiliário? Veja o “Economize”, programa de finanças pessoais

Acompanhe o programa “Economize” na plataforma multimédia JE TV, através do site e das redes sociais do Jornal Económico.
Comentários