Siro e Cerealto unem-se e criam Ceralto Siro Foods

O novo grupo tem previsto concentrar os seus recursos e permitirá continuar a ser uma fornecedora especializada da Mercadona.

A Siro e a multinacional Cerealto assinaram um acordo para a integração de ambas as empresas num mesmo grupo multinacional alimentar, a Cerealto Siro Foods, dedicado à produção de marcas para terceiros, referem as empresas em comunicado oficial.

O novo grupo apresenta dados consolidados, estimados no final do exercício de 2018, que excedem 600 milhões de euros de volume de negócios e uma produção superior a 400 mil toneladas. O grupo conta atualmente com uma equipa de mais de cinco mil pessoas, distribuídas por 17 centros de produção localizados em Espanha, Portugal, Itália, Reino Unido e México, além de uma equipa local nos EUA.

O objetivo do novo grupo é “posicionar-se no mercado global de alimentos com uma oferta de produtos que respondam às necessidades dos consumidores nos diferentes mercados, com um modelo de negócio focado na qualidade, na eficiência operacional e na inovação em produtos e processos”.

A Cerealto Siro Foods tem previsto concentrar os seus recursos operacionais e financeiros nas categorias de biscoitos, cereais e pastas, linhas de negócios com gamas de produtos de carácter global e um elevado potencial de desenvolvimento em diferentes mercados. “A Siro traz o conhecimento e toda a sua experiência na cadeia de valor nessas categorias, enquanto a Cerealto fornece a estrutura internacional dos seus negócios, bem como os seus compromissos com clientes internacionais”, refere ainda o comunicado.

A estratégia do novo grupo permitirá que continue a ser um fornecedor especializado da Mercadona no mercado espanhol e manter o atual portefólio de clientes da Cerealto, tanto em Espanha como noutros mercados internacionais.

Paralelamente, o novo grupo pretende desinvestir nas categorias de bolos e pão. Estas linha de negócio registaram um crescimento notável nos últimos anos e apresentam excelentes perspetivas de desenvolvimento. No entanto, exigem um foco e recursos locais que não se encaixam na nova estratégia. O processo de desinvestimento será sempre realizado garantindo a procura do melhor comprador.

Ler mais
Recomendadas

Calçado vegan? Sim, também já há

Uma empresa da Póvoa de Lanhoso considera que nem mesmo uma indústria tradicional como o calçado precisa de recorrer a produtos que, do ponte de vista da sustentabilidade, não fazem sentido.

Crédito Agrícola elege nova administração a 25 de maio

A Caixa Central de Crédito Agrícola é responsável pela coordenação e supervisão das 80 Caixas de Crédito Agrícola Mútuo e é liderada por Licínio Pina desde 2013, há dois mandatos. O gestor trabalha no banco há mais de 30 anos.

Empresas começam projetos de inovação mas não conseguem acabar mais de metade

O excesso de projetos, a falta de liderança e a ausência de processos estão a bloquear o desenvolvimento das organizações mundiais, segundo o estudo “Having a successful innovation agenda”, elaborado pela multinacional Oracle.
Comentários