“Soldado do futuro”. Governo vai investir 171 milhões de euros em equipamento militar

O maior esforço financeiro na preparação do “soldado do futuro” deverá notar-se entre os anos de 2019 e 2022, quando estão previstos gastos de 74,8 milhões de euros,

O Governo vai investir cerca de 171 milhões de euros na compra de equipamento militar para o chamado “soldado do futuro”, tal como está previsto na Lei de Programação Militar para o período entre 2019 e 2030, noticia o “Correio da Manhã” esta quinta-feira.

A nova lei de compras para as forças armadas prevê a medida de “Proteção e Sobrevivência da Força Terrestre” e tem por objetivo criar mais condições de sobrevivência aos militares em cenário de operações de risco.  Assim, a verba destina-se à aquisição de uniformes, material de proteção e sistemas de comunicação.

Entre o material previsto para aquisição estão capacetes balísticos, óculos de proteção, proteção maxilofacial, colete balístico, cotoveleiras de kevlar, luvas de proteção, relógio ou monitor fisiológico no pulso e espingarda automática.

O maior esforço financeiro na preparação do “soldado do futuro” deverá notar-se entre os anos de 2019 e 2022, quando estão previstos gastos de 74,8 milhões de euros, do ‘bolo’ de 171 milhões, na compra de equipamentos.

Recomendadas

Ministros europeus dos Negócios Estrangeiros reúnem-se para discutir alterações climáticas

Os ministros dos Negócios Estrangeiros da UE juntam-se hoje para debater a visão estratégica a longo prazo da Comissão para uma Europa neutra em termos de clima e apelam para uma acção urgente e decisiva para reforçar a resposta global face às alterações climáticas.

Costa: remodelação impede “confusão entre atividade governativa e eleições”

O primeiro-ministro garantiu, na cerimónia de tomada de posse da nova equipa, que a estratégia e o programa de Governo não se alteram e que esta remodelação se trata apenas de um “rejuvenescimento na continuidade”.

Europeias: quem são e o que defendem os cabeças de lista dos principais partidos

O Partido Socialista (PS) veio este sábado confirmar Pedro Marques como cabeça de lista às eleições europeias. Ficam assim fechados os nomes que vão liderar as listas dos cinco principais partidos, a nível nacional. Saiba quem são e o que defendem.
Comentários